Clicky

Chart Trading 728×90

SÃO PAULO, 15 Set (Reuters) – O dólar operava em alta ante o
real nesta sexta-feira acompanhando o desempenho de moedas
emergentes no exterior após dados mistos sobre a economia dos
Estados Unidos e mesmo após o Banco Central ter anunciado que
retomará a rolagem de contratos de swap cambial tradicional que
vencem em outubro.
O Ibovespa subia, com a percepção de que o governo ainda tem
forças para avançar sua agenda de reformas se sobrepondo à
cautela após nova denúncia contra o presidente Michel Temer. Já
as taxas dos contratos futuros de juros tinham leves oscilações,
após dados da economia norte-americana e em dia de agenda
doméstica esvaziada.
Os mercados acionários norte-americanos tinham leves
variações, mas o Dow Jones atingiu outro recorde, com os
investidores deixando de lado o último teste de mísseis da
Coreia do Norte e com os dados econômicos do país influenciando
pouco o momento de alta de juros.

Veja como estavam os principais mercados financeiros por
volta das 13h desta sexta-feira:

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

CÂMBIO
O dólar operava em alta ante o real nesta sexta-feira
acompanhando o desempenho de moedas emergentes no exterior após
dados mistos sobre a economia dos Estados Unidos e mesmo após o
Banco Central ter anunciado que retomará a rolagem de contratos
de swap cambial tradicional que vencem em outubro.
"A moeda está acompanhando de perto o desempenho do dólar
ante as divisas emergentes", disse um profissional da mesa de
derivativos de uma corretora local.
No exterior, o dólar tinha forte queda ante uma cesta de
moedas fortes , mas subia ante divisas emergentes como os
pesos chileno e mexicano .
As vendas no varejo dos Estados Unidos caíram
inesperadamente em agosto, apresentando um recuo de 0,2 por
cento contra previsão de alta de 0,1 por cento. Já a produção
industrial no mês passado recuou 0,9 por cento, ante projeção de
alta de 0,1 por cento.
Após a divulgação desses dados, o dólar chegou a perder
força, mas o índice de confiança do consumidor da Universidade
de Michigan superou as previsões em setembro, ao atingir 95,3
ante expectativa de 95,1.
Internamente, os investidores seguiam cautelosos em relação
ao cenário político, um dia depois de o procurador-geral da
República, Rodrigo Janot, ter feito a segunda denúncia contra o
presidente Michel Temer.
"Assim como a primeira, acreditamos que a denúncia será
barrada. O efeito negativo se daria através de certo atraso da
tramitação de reformas, por exemplo. Na Câmara, espera-se que ao
menos 20 a 30 dias sejam gastos com isso", justificou a
corretora Guide em relatório.
O BC vendeu integralmente a oferta de até 12 mil contratos
de swap cambial tradicional –equivalentes à venda futura de
dólares– no primeiro leilão para rolagem do vencimento de
outubro. Desta forma, foram rolados 600 milhões de dólares do
total de 9,975 bilhões de dólares que vencem no mês que vem.

. Dólar/Real : +0,38%, a 3,1275 reais na venda;
. Euro/Dólar : +0,34%, a 1,1958 dólar;
. Dólar/Cesta de moedas : -0,37%

BOVESPA
O principal índice da bolsa paulista operava no azul nesta
sexta-feira, com a percepção de que o governo ainda tem forças
para avançar sua agenda de reformas se sobrepondo à cautela após
nova denúncia contra o presidente Michel Temer.
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou na
noite passada o presidente Temer ao Supremo Tribunal Federal
(STF) pelos crimes de organização criminosa e obstrução de
investigações sob a acusação de liderar um esquema de desvio de
recursos, pagamento de propina e outros delitos desde 2006 até
os dias de hoje.
"Cabe agora ao Congresso mostrar se a denúncia será capaz de
mudar o ritmo de tramitação de reformas. Como a oposição também
está citada na denúncia, o efeito entre os políticos é de um
pouco mais do mesmo, servindo de moeda de troca para interesses
próprios", escreveram analistas da corretora Lerosa
Investimentos, em nota a clientes.
No exterior, as atenções estão voltadas para as questões
geopolíticas após uma explosão no metrô de Londres, que a
polícia britânica está tratando como um ato terrorista, e do
lançamento de um míssil pela Coreia do Norte, que ultrapassou o
norte do Japão e caiu no Oceano Pacífico, aumentando ainda mais
as tensões após o recente teste de Pyongyang de uma poderosa
bomba nuclear.

– JBS ON avançava 3,5 por cento, engatando o
terceiro pregão de ganhos, em meio ao noticiário intenso
envolvendo seus executivos e a expectativa pela troca de comando
da empresa. Na véspera, o ministro do Supremo Tribunal Federal
(STF) Edson Fachin converteu as prisões temporárias dos
executivos da J&F Joesley Batista e Ricardo Saud em preventivas
e deu um prazo de dez dias para que eles se manifestem sobre o
pedido do procurador-geral da República de rescisão da delação
premiada. Além disso, também como pano de fundo estavam notícias
publicadas pela mídia de que bancos de investimentos estão se
movimentando para buscar candidatos interessados em comprar a
JBS.

– BRASKEM PNA subia 0,95 por cento, após informar
na véspera que assinou acordo para encerrar ação coletiva de
investidores nos Estados Unidos, que prevê o pagamento pela
Braskem de 10 milhões de dólares. Também no radar estava a
elevação do preço-alvo para as ações da petroquímica feita pelo
UBS, para 49 reais, ante 45 reais.

– VALE ON avançava 1,2 por cento, em movimento de
recuperação após acumular queda de 4,65 por cento nos dois
pregões anteriores, apesar de nova queda para os contratos
futuros do minério de ferro na China.

– USIMINAS PNA ganhava 3 por cento, CSN ON
tinha alta de 3,75 por cento e GERDAU PN
subia 2,2 por cento, apesar da queda nos contratos futuros de
aço e minério de ferro na China. Segundo operadores, as ações do
setor ganham suporte da perspectiva positiva em relação à agenda
de privatizações, o que elevaria investimentos em
infraestrutura.

– PETROBRAS PN tinha alta de 0,3 por cento e
PETROBRAS ON ganhava 0,5 por cento, em sessão de
alguma volatilidade para os preços do petróleo no mercado
internacional.

– CESP PNB , que não faz parte do Ibovespa, caía
4,6 por cento, após o governo paulista suspender a privatização
da empresa, que opera três hidrelétricas no Estado de São Paulo.

. Ibovespa : +0,99%, a 75.393 pontos;
. Volume financeiro: R$4,7 bi.
. Índice dos principais ADRs brasileiros : +0,57%, a
23.946 pontos.
Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em
Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

BOLSAS DOS EUA
Os mercados acionários norte-americanos tinham leves
variações nesta sexta-feira, mas o Dow Jones atingiu outro
recorde, com os investidores deixando de lado o último teste de
mísseis da Coreia do Norte e com os dados econômicos do país
influenciando pouco o momento de alta de juros.
Os três principais índices caminhavam para registrar alta
semanal, com o Dow avançando para sua melhor semana em mais de 8
meses.
Os principais índices operam perto das máximas, com os
investidores aguardando a reunião do Federal Reserve, banco
central dos Estados Unidos, em 19 e 20 de setembro para avaliar
o caminho futuro da política monetária.
Nenhuma mudança de política monetária é esperada no
encontro, mas as chances de uma alta de juros em dezembro saltou
nesta quinta-feira após dados fortes dos preços ao consumidor,
um indicador próximo da inflação que o banco central está
monitorando de perto.
As vendas no varejo caíram inesperadamente no mês passado,
informou o Departamento de Comércio, enquanto outro relatório
mostrou que a produção industrial em agosto teve seu primeiro
declínio desde janeiro.
Ambas as leituras incluíram o impacto do furacão Harvey.
Isso ocorre após Pyongyang disparar um segundo míssil sobre
o Japão, que gerou críticas generalizadas dos líderes mundiais,
mas quase não afetou as ações e outros ativos de risco.
"Eu acho que o mercado está meio dessensibilizado para
isso", disse o economista-chefe da Raymond James, Scott Brown.
"Mas isso sempre pode ser usado como uma desculpa em uma
situação de sobrecompra, para tirar pressão."

. Dow Jones : +0,22%, a 22.253 pontos;
. Standard & Poor's 500 : +0,106587%, a 2.498 pontos;
. Nasdaq : +0,39%, a 6.453 pontos;

BOLSAS DA EUROPA
O índice FTSEurofirst 300 fechou em queda de 0,46
por cento, a 1.494 pontos.
Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 1,10 por
cento, a 7.215 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,17 por cento, a
12.518 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,22 por cento, a
5.213 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de
0,23 por cento, a 22.229 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,42
por cento, a 10.317 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,01 por
cento, a 5.201 pontos.

JUROS
As taxas dos contratos futuros de juros tinha leves
oscilações nesta sexta-feira, após dados mais fracos sobre a
economia norte-americana reduzirem as apostas de novo aumento de
juros nos EUA este ano e em dia de agenda doméstica esvaziada.
Como pano de fundo, os investidores monitoravam o cenário
político doméstico, após o procurador geral da República,
Rodrigo Janot, ter feito nova denúncia contra o presidente
Michel Temer na véspera.
"O mercado está em compasso de espera pela estratégia do
governo para enfrentar a nova denúncia", avaliou um operador de
um banco nacional ao justificar o comportamento lateral dos DIs
nesta sessão.
A nova denúncia era amplamente esperada pelos investidores e
a avaliação é de que o governo conseguirá barrar mais essa,
assim como fez da primeira vez. Mesmo assim, o governo terá que
negociar com os parlamentares, o que pode atrapalhar os planos
para a votação da reforma da Previdência.
Por ora, o governo acredita que conseguirá colocar o texto
em votação em outubro, como já repetiu o ministro da Fazenda,
Henrique Meirelles, em algumas ocasiões.
"(Os fatos recentes) Enfraqueceram um pouco o procurador
geral e o presidente Temer começou a ganhar fôlego. Além disso,
os dados econômicos têm vindo melhores", acrescentou o
profissional ao destacar que esse ambiente acabou favorecendo
uma recuperação do mercado.
No começo do mês, Rodrigo Janot, pediu a abertura de uma
investigação para apurar indícios da prática de crimes omitidos
por delatores da J&F em um áudio entregue pelo grupo ao
Ministério Público. Com isso, os delatores da J&F Joesley
Batista e Ricardo Saud foram presos no último final de semana,
após a suspensão dos benefícios de delação.

O trecho mais longo da curva oscilava um pouco mais,
acompanhando mais de perto a movimentação do dólar ante o real
. No exterior, dados norte-americanos divulgados nesta
sessão vieram piores do que as projeções e reduziram as apostas
para nova alta de juros este ano no país.
A curva a termo de juros precificava nesta sessão cerca de
85 por cento de chances de um corte de 0,75 ponto percentual da
Selic em outubro, com o restante indicando redução de 0,50
ponto, segundo dados da Reuters.
O ciclo de ajuste daqui para a frente estava em 1,04 ponto
percentual, informaram operadores. Atualmente, a taxa Selic está
em 8,25 por cento, após dois cortes de 0,25 ponto, dois de 0,75
ponto e quatro de um ponto.

mês ticker último fechamento variação
(%) anterior (p.p.)
(%)
OCT7 8,141 8,14 0,001
JAN8 7,605 7,61 -0,005
JAN9 7,53 7,54 -0,01
JAN21 8,95 8,93 0,02
JAN23 9,58 9,55 0,03

DÍVIDA
. Treasuries de 10 anos : rendimento em queda a
2,1988%, ante 2,199% no dia anterior;
. Global 26 : rendimento em queda a 4,3719%,
ante 4,375% no dia anterior.

PETRÓLEO
Os preços do petróleo Brent tinham leve queda, mas
caminhavam para o maior avanço semanal desde julho, impulsionado
por previsões de maior demanda e pela reabertura das refinarias
nos Estados Unidos.
A Organização dos Países Exportadores de Petróleo previu
nesta semana uma demanda maior por seu petróleo em 2018 e
apontou sinais de um mercado global mais apertado, indicando que
o acordo com não-membros para cortar a produção está ajudando a
enfrentar o excesso de oferta.
Essa notícia foi seguida por um relatório da Agência
Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês), afirmando
que o excesso de oferta está diminuindo graças à forte demanda
europeia e norte-americana, bem como pelas quedas de produção
nos países da Opep e não-membros.
Os investidores observam ainda o impacto adicional do
aumento da demanda por petróleo das refinarias dos EUA que
reiniciam suas operações após interrupções com os furacões.
Na quarta-feira, 13 das 20 refinarias afetadas nos EUA
estavam com taxas de operação próximas ou iguais aos níveis
normais, enquanto outras cinco estavam reiniciando ou aumentando
a operação, de acordo com a IHS Markit.

. Nymex – OUT/17 : -0,38%, a 49,7 dólares por barril;
. ICE Futures Europe – Brent NOV/17 : -0,13%, a 55,4
dólares por barril.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de
notícias da Reuters pelo código PAN/SA )

(Edição de Camila Moreira)
(([email protected]; 55 11 5644-7727; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia

Join the Conversation