Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

SÃO PAULO, 8 Dez (Reuters) – O dólar anulou as perdas vistas
mais cedo e passou a subir ante o real, com o foco dos
investidores ainda voltado para a reforma da Previdência e a
capacidade de o governo do presidente Michel Temer conseguir
apoio político suficiente para garantir a votação na Câmara dos
Deputados ainda neste ano.
Já o noticiário político era visto como mais favorável pelo
mercado acionário brasileiro, com o Ibovespa em alta,
encontrando algum alívio após o governo acertar com lideranças a
data de 18 de dezembro para colocar em votação a proposta de
reforma da Previdência na Câmara dos Deputados.
As taxas dos contratos futuros de juros recuavam, após a
inflação oficial do país desacelerar mais do que o esperado em
novembro, reforçando as apostas de que a Selic será reduzida
novamente no início de 2018.
Os principais índices acionários dos Estados Unidos abriram
em alta após o mais recente relatório sobre o mercado de
trabalho norte-americano mostrar força da economia e impulsionar
o cenário por uma alta de juros em dezembro.

Veja como estavam os principais mercados financeiros pouco
depois das 13:10 desta sexta-feira:

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

CÂMBIO
O dólar anulou as perdas vistas mais cedo e passou a subir
ante o real, com o foco dos investidores ainda voltado para a
reforma da Previdência e a capacidade de o governo do presidente
Michel Temer conseguir apoio político suficiente para garantir a
votação neste ano.
Mais cedo, o cenário externo ajudava o movimento de baixa,
com o dólar mostrando recuos sobre algumas divisas de países
emergentes após bons dados econômicos da China puxarem os preços
de importantes commodities.
"A data fixada pelo governo, próxima do recesso, preocupa",
trouxe a corretora Guide em relatório.
Na véspera, o líder do governo na Câmara dos Deputados,
Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), afirmou que ficou acordado que a
votação da reforma acontecerá no próximo dia 18. A avaliação foi
que, com mais uma semana para convencer deputados da base, seria
possível garantir margem de segurança para aprovar o texto.
A sinalização com uma data deixava o mercado menos tenso
nesta sessão, mas ainda cauteloso porque são necessários 308
votos a favor da reforma para passar na Câmara dos Deputados.
No exterior, o dólar cedia sobre algumas moedas de países
emergentes e exportadores de commodities, como o peso mexicano
, o rand sul-africano e a lira turca ,
ajudando no movimento do mercado local.
Isso ocorria após a divulgação sobre dados da balança
comercial da China, de que as importações cresceram 17,7 por
cento em novembro em relação a um ano antes, bem acima das
expectativas de crescimento de 11,3 por cento. Os números da
China são bastante favoráveis a países ligados a commodities,
como o Brasil, o que favorece o recuo do dólar ante o real.

"O salto da balança da China mostra que podemos esperar
melhora no preço das commodities em 2018", afirmou o diretor da
corretora Mirae Pablo Spyer.
Ante uma cesta de moedas , no entanto, a moeda
norte-americana subia, à medida que crescia o otimismo de que o
projeto de reforma tributária nos Estados Unidos será aprovado.

O Banco Central vendeu o total de até 14 mil swaps cambiais
tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, para
rolagem do vencimento de janeiro. Até agora, rolou o equivalente
a 4,2 bilhões de dólares do total de 9,638 bilhões de dólares
que vencem no mês que vem.

. Dólar/Real : +0,44%, a 3,3002 reais na venda;
. Euro/Dólar : -0,17%, a 1,1751 dólar;
. Dólar/Cesta de moedas : +0,19%

BOVESPA
O principal índice da bolsa paulista operava no azul nesta
sexta-feira, encontrando algum alívio após o governo acertar com
lideranças a data de 18 de dezembro para colocar em votação a
proposta de reforma da Previdência na Câmara dos Deputados.

O noticiário político segue guiando os movimentos do mercado
e ainda é esperada alguma volatilidade ao longo no dia ou nos
próximos pregões, em reação às articulações do governo para
angariar os votos necessários para aprovar a reforma de
Previdência.
"Apesar das incertezas, a fixação da data para uma possível
votação pode ser vista como positiva", escreveram analistas da
corretora Guide Investimentos.
O exterior também ajudava o tom mais favorável da sessão,
após dados da balança comercial da China, que teve desempenho
melhor que o esperado em novembro.

– PETROBRAS PN subia 1,8 por cento e PETROBRAS ON
avançava 1,3 por cento, com respaldo do cenário
positivo para os preços do petróleo no mercado internacional e
também com a melhora do humor em torno do avanço da reforma da
Previdência.

– VALE ON ganhava 0,8 por cento, apesar da queda
dos contratos futuros do minério de ferro na China, mas após
dados mostrarem alta na importação da commodity pelo país
asiático.

– BANCO DO BRASIL ON tinha alta de 2,2 por cento,
no melhor desempenho do setor bancário, amparado pelo cenário
mais favorável para a Previdência. ITAÚ UNIBANCO PN
subia 1,2 por cento, BRADESCO PN ganhava 1,3 por
cento e SANTANDER UNIT avançava 1,3 por cento.

– KROTON ON caía 1,7 por cento, reagindo à
renúncia de Frederico Brito e Abreu como diretor financeiro da
companhia. Segundo a equipe do BTG Pactual, ele foi um dos
principais executivos por trás da retomada da empresa nos
últimos anos e vinha sendo considerado como o sucessor do
presidente-executivo.

. Ibovespa : +0,69%, a 72.985 pontos;
. Volume financeiro: R$ 2,88 bi.
. Índice dos principais ADRs brasileiros : +0,01%, a
21.535 pontos.
Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em
Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

BOLSAS DOS EUA
Os principais índices acionários dos Estados Unidos abriram
em alta nesta sexta-feira após o mais recente relatório sobre o
mercado de trabalho norte-americano mostrar força da economia e
impulsionar o cenário por uma alta de juros em dezembro.

. Dow Jones : +0,13%, a 24.242 pontos;
. Standard & Poor's 500 : +0,31%, a 2.645 pontos;
. Nasdaq : +0,7%, a 6.860 pontos;

BOLSAS DA EUROPA
O índice FTSEurofirst 300 tinha alta de 0,72 por
cento, a 1.531 pontos.
Em LONDRES, o índice Financial Times avançava 0,74
por cento, a 7.374 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX subia 0,81 por cento, a
13.151 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 ganhava 0,27 por cento, a
5.398 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha valorização de
1,25 por cento, a 22.741 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 registrava alta de 0,84
por cento, a 10.348 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizava-se 0,45 por
cento, a 5.367 pontos.

JUROS
As taxas dos contratos futuros de juros recuavam nesta
sexta-feira, após a inflação oficial do país desacelerar mais do
que o esperado em novembro, reforçando as apostas de que a Selic
será reduzida novamente no início de 2018.
As negociações do governo para tentar aprovar a reforma da
Previdência continuava no radar dos investidores, em meio aos
esforços do presidente Michel Temer para tentar garantir apoio
político suficiente para a votação da matéria em breve.
A alta do IPCA perdeu mais do que o esperado em novembro,
com nova queda nos preços dos alimentos, aumentando bastante a
chance de o resultado fechado de 2017 ficar abaixo da meta do
governo. O indicador subiu 0,28 por cento em novembro, contra
0,42 por cento em outubro, acumulando em 12 meses avanço de 2,80
por cento.
As expectativas de analistas em pesquisa da Reuters eram de
alta de 0,35 por cento no mês e de 2,88 por cento em 12 meses.
Com isso, a curva a termo precificava nesta sessão cerca de
70 por cento de chances de corte de 0,25 ponto percentual da
Selic em fevereiro pelo Banco Central, ante 60 por cento na
véspera, com o restante sinalizando manutenção, segundo
operadores.
Em seu comunicado após cortar a Selic para a mínima
histórica de 7 por cento nesta semana, o BC sinalizou que deve
reduzir novamente a taxa em fevereiro, ressaltando que o
movimento será encarado com "cautela.
Isso porque o BC deixou claro que os passos seguintes estão
mais sensíveis a eventuais mudanças no cenário de riscos o que,
para analistas, foi uma sinalização sobre como será o desfecho
da reforma da Previdência.
Na véspera, o líder do governo na Câmara dos Deputados,
Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), afirmou que ficou acordado que a
votação acontecerá no próximo dia 18. A avaliação foi que, com
mais uma semana de trabalho para convencer deputados da base,
seria possível garantir margem de segurança para aprovar o
texto.
A sinalização com uma data deixava o mercado menos tenso
nesta sessão, mas ainda cauteloso porque são necessários 308
votos a favor da reforma para passar na Câmara dos Deputados.
"É fato de que o ambiente está mais favorável para a
Previdência, mas o governo ainda não tem os votos totais e o
calendário é apertado", afirmou o sócio-gestor da gestora Leme
Investimentos, Paulo Petrassi.
No pregão passado, os DIs mais longos saltaram diante dos
temores de que o governo não conseguiria os votos para a
reforma, considerada essencial para colocar as contas públicas
do país em ordem. A taxa do DI com vencimento em janeiro de 2023
, por exemplo, subiu 0,11 por percentual.

mês ticker último (%) fechamento variação
anterior (%) (p.p.)
JAN8 6,895 6,896 -0,001
APR8 6,8 6,815 -0,015
JAN9 7,01 7,06 -0,05
JAN21 9,25 9,27 -0,02
JAN23 10,12 10,15 -0,03

DÍVIDA
Os rendimentos dos Treasuries tinham leves variações nesta
sexta-feira, após a divulgação de dados sobre o mercado de
trabalho dos Estados Unidos que mostraram a criação de 228 mil
vagas no mês passado, com os salários por hora ficando abaixo
das expectativas.

. Treasuries de 10 anos : rendimento em queda a
2,3742%, ante 2,376% no dia anterior;
. Global 26 : rendimento em queda a 4,2869%,
ante 4,321% no dia anterior.

PETRÓLEO
Os preços do petróleo subiam nesta sexta-feira, com aumento
da demanda da China pelo combustível e com os cortes de oferta
liderados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo,
que gradualmente apertam o mercado neste ano.
As importações chinesas de petróleo subiram para 9,01
milhões de barris por dia (bpd) em novembro, o segundo maior
nível já registrado, segundo dados da Administração Geral de
Alfândega divulgados nesta sexta-feira.
Os preços do petróleo também têm recebido apoio do lado da
oferta, com os cortes da Opep e de um grupo de produtores não
membros cujo destaque é a Rússia, o que tem apertado a oferta no
mercado.

. Nymex – JAN/17 : +0,74%, a 57,11 dólares por barril;
. ICE Futures Europe – Brent FEV/18 : +1,11%, a 62,89
dólares por barril.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de
notícias da Reuters pelo código PAN/SA )

(Edição de)
(([email protected]; 55 11 5644-7727; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia