Clicky

MetaTrader 728×90

Por Camila Moreira
SÃO PAULO, 14 Jun (Reuters) – O cenário internacional ganha
destaque nos mercados nesta quinta-feira, com dados fracos da
China e o tom mais "hawkish" do Federal Reserva ainda
repercutindo sobre os emergentes, no dia da abertura da Copa do
Mundo na Rússia.
A atuação do Banco Central brasileiro ajudou as conter altas
mais agressivas do dólar ante o real na véspera, após o Fed
elevar os juros e indicar aperto monetário mais rápido, mas a
perspectiva de custos de empréstimo mais altos ainda pesava
sobre os ativos dos mercados emergentes nesta
sessão.
Além disso, dados da China mostrando que a segunda maior
economia do mundo está finalmente começando a desacelerar sob o
peso de uma prolongada repressão sobre os empréstimos mais
arriscados não ajudavam a acalmar o nervosismo do investidor. Ao
mesmo tempo, o banco central chinês rompeu com seu curso
tradicional e deixou os custos de empréstimo inalterados após o
aumento pelo Fed.
Na Europa, o BCE debate se encerra suas compras de títulos
até o final do ano, no que pode ser o maior passo na direção de
desfazer o estímulo da época da crise.
Já no horário do almoço as atenções se voltam para a Rússia,
com a cerimônia de abertura da Copa do Mundo às 11h30, seguida
pelo jogo inicial entre os donos da casa e a Arábia Saudita ao
meio-dia.

Confira os principais indicadores econômicos brasileiros e
internacionais com divulgação prevista para esta quinta-feira.
Os prognósticos são de analistas ouvidos pela
Reuters.:

MetaTrader 300×250

Veja como estavam os principais mercados financeiros
externos às 7:50 desta quinta-feira:
. O índice MSCI da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão
tinha queda de 1,06 por cento, a 564 pontos.
. O futuro do norte-americano S&P 500 subia 0,04 por
cento, a 2.780 pontos.
. O índice FTSEurofirst 300 tinha queda de 0,54 por
cento, a 1.509 pontos.
. Em LONDRES, o índice Financial Times recuava 0,47
por cento, a 7.667 pontos.
. Em FRANKFURT, o índice DAX caía 0,33 por cento, a
12.848 pontos.
. Em PARIS, o índice CAC-40 perdia 0,20 por cento, a
5.442 pontos.
. Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha desvalorização
de 0,64 por cento, a 22.074 pontos.
. Em MADRI, o índice Ibex-35 registrava baixa de
0,32 por cento, a 9.867 pontos.
. Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizava-se 0,80
por cento, a 5.638 pontos.
. O petróleo tipo Brent em Londres recuava 0,43 por
cento, a 76,41 dólares por barril.
. O petróleo em Nova York subia 0,27 por cento, a
66,82 dólares por barril.
. O euro tinha ganho de 0,29 por cento, a 1,1823
dólar.
. O índice do dólar sobre uma cesta de moedas perdia
0,41 por cento.

Veja como fecharam as bolsas asiáticas nesta quinta-feira:
. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,99 por cento,
a 22.738 pontos.
. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,93 por
cento, a 30.440 pontos.
. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,17 por cento, a
3.044 pontos.
. O índice CSI300 , que reúne as maiores companhias
listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,40 por cento, a
3.773 pontos.
. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de
1,84 por cento, a 2.423 pontos.
. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 1,43
por cento, a 11.013 pontos.
. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES
desvalorizou-se 1,05 por cento, a 3.356 pontos.
. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,11 por
cento, a 6.016 pontos.

Veja como fecharam os principais mercados financeiros na
quarta-feira:
CÂMBIO
O dólar fechou a quarta-feira com pequena elevação ante o
real, com a atuação intensa do Banco Central brasileiro no
mercado aliviando a pressão após o Federal Reserve, banco
central norte-americano, indicar que elevará os juros mais vezes
neste ano, movimento que tende a afetar o fluxo de capital
global.
. Dólar/Real : +0,17%, a 3,7137 reais na venda;

BOVESPA
A bolsa paulista fechou no vermelho nesta terça-feira, com
os negócios influenciados pelos vencimentos de opções sobre o
Ibovespa e do índice futuro, em sessão em que o Federal Reserve
elevou a taxa básica de juros dos Estados Unidos e sinalizou
novas altas este ano.
. Ibovespa : -0,87%, a 72.122 pontos;
. Volume financeiro: R$ 33,79 bi.
. Índice dos principais ADRs brasileiros : -0,99%, a
19.406 pontos.
Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em
Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

BOLSAS DOS EUA
Os índices acionários dos Estados Unidos encerraram uma
sessão volátil em queda nesta quarta-feira após o Federal
Reserve elevar as taxas de juros conforme o esperado e projetar
um ritmo ligeiramente mais rápido de alta de juros para este
ano.
. Dow Jones : -0,47%, a 25.201 pontos;
. Standard & Poor's 500 : -0,402605%, a 2.775 pontos;
. Nasdaq : -0,11%, a 7.696 pontos.

JUROS
As taxas dos contratos futuros de juros fecharam a
quarta-feira em alta, após o Federal Reserve, banco central
norte-americano, informar que deve subir os juros quatro vezes
este ano, uma a mais do que o inicialmente previsto, o que deve
influenciar o fluxo global de recursos.

mês ticker último fechamento variação
(%) anterior (p.p.)
(%)
JUL8 6,502 6,485 0,017
JAN9 7,23 7,15 0,08
JAN0 8,88 8,67 0,21
JAN21 9,94 9,75 0,19
JAN23 11,35 11,19 0,16

DÍVIDA
. Treasuries de 10 anos : rendimento em queda a
2,9737%, ante 2,979% no dia anterior;
. Global 27 : rendimento em queda a 5,6756%,
ante 5,676% no dia anterior.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de
notícias da Reuters pelo código PAN/SA )

(Edição de Pedro Fonseca)
(([email protected]; 55 11 5644-7729; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia

Join the Conversation