Clicky

MetaTrader 728×90

A Marfrig Global Foods, uma das maiores companhias globais de alimentos à base de proteína animal, apresentou hoje à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) seu resultado fiscal referente ao primeiro trimestre de 2018.

No primeiro trimestre do ano, os números registrados pela Marfrig Global Foods demonstram a expansão dos negócios, acompanhada de ações estratégicas para a garantia da disciplina financeira. A receita líquida combinada total atingiu 5,1 bilhões de reais, uma alta de 24% em relação ao mesmo período que o ano passado, reflexo sobretudo do aumento do volume produzido.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortizações e depreciações) ajustado combinado foi de 351 milhões de reais, uma expansão de 5% na comparação com o 1T17. O lucro bruto – também combinado – chegou a 525 milhões de reais nos primeiros três meses do ano – elevação de 14%. O prejuízo líquido foi de 206 milhões de reais – 32 milhões de reais menor que o registrado no mesmo período do ano passado.

No 1T18, a alavancagem da Marfrig, medida pela relação dívida líquida e Ebitda Ajustado das operações continuadas, foi de 3,67 vezes.

No comunicado ao mercado, a companhia ressalta que vive, hoje, um período de transição. Essa fase foi iniciada em abril, com o anúncio da aquisição de 51% da National Beef, quarta maior processadora de carne bovina dos Estados Unidos, e da intenção de venda da Keystone Foods, focada em alimentos processados para o segmento de foodservice. Com a concretização da compra da National Beef, a Marfrig Global Foods concentra-se em seu negócio de origem e passa a ser a segunda maior processadora de carne bovina o mundo, em capacidade de produção.

Em função desse cenário de transformação do negócio e da descontinuidade da divisão Keystone, os resultados do período são apresentados de forma combinada.

Perfil da dívida

 

A Companhia continuou a perseguir, neste início de exercício, a melhoria do perfil da dívida. Em janeiro, emitiu bônus no valor de 1 bilhão de dólares, com demanda quatro vezes superior à oferta inicial, taxa anual de 6,875% e vencimento em 2025. Os recursos obtidos com a emissão foram usados na recompra de notas sêniores com vencimento em 2018 e 2019.

A compra do controle da National Beef, o foco na produção de carne bovina e a redução da alavancagem fizeram com que, em abril, a agência de crédito S&P colocasse o rating corporativo da Marfrig em observação, com perspectiva positiva (positive credit watch).

Divisão Beef – Expansão e Destaque para as Exportações

A Divisão Beef registrou no 1T18 um abate total de 887 mil cabeças – expansão de 42% na comparação com os primeiros três meses de 2017.

Apesar do cenário doméstico desafiador – com a retomada do crescimento da economia mais lenta do que o esperado e o aumento da concorrência de outros tipos de proteína –, a divisão registrou uma receita líquida de 2,9 bilhões de reais no período, 44% acima na comparação com o ano passado. O destaque foram as vendas de carne in natura para o mercado internacional. Com um crescimento de 67% no volume, as exportações responderam por 54% das receitas da divisão.

O lucro bruto da Divisão Beef atingiu de 358 milhões de reais no primeiro trimestre, 97 milhões de reais superior ao registrado no mesmo período do ano anterior. A margem bruta foi de 12,1% e o Ebitda ajustado atingiu 191 milhões de reais, aumento de 30% no comparativo com o primeiro trimestre de 2017. A margem ficou em 6,5%.

Divisão Keystone – Venda Estratégica

Conforme anunciado em abril deste ano, a divisão Keystone foi colocada à venda. O processo segue dentro dos prazos e trâmites esperados.


Assuntos desta notícia

Join the Conversation