Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

SÃO PAULO, 30 Nov (Reuters) – A inadimplência de micro e
pequenos empresários do Brasil em outubro atingiu o maior nível
desde março de 2016, apesar dos sinais de recuperação da
economia, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pela
empresa de análise de informações de crédito Serasa Experian.
Segundo o levantamento, que começou a ser realizado pela
companhia em março de 2016, o número de micro e pequenas
empresas inadimplentes do país atingiu 4,9 milhões em outubro,
um aumento de 12,5 por cento sobre o mesmo período do ano
passado.
Do total de 4,9 milhões de empresas inadimplentes, 45,6 por
cento eram prestadoras de serviços, 45,2 por cento empresas
comerciais e 8,8 por cento indústrias.
"A recuperação da economia em 2017 vem se dando de forma não
uniforme para todos os setores e, neste sentido, o setor de
serviços é um dos que está mais atrasado neste processo",
afirmou a Serasa Experian em comunicado à imprensa,
As micro e pequenas empresas respondem por 27 por cento do
Produto Interno Bruto do país, segundo a Serasa Experian. "Por
isso, o recorde de inadimplência traz preocupação."
Mais cedo, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
(IBGE) informou que a taxa de desemprego do país caiu a 12,2 por
cento no trimestre até outubro, atingindo nível mais baixo desde
o final de 2016. Porém, a pesquisa indicou que o número de
desempregados seguiu caindo por conta da informalidade.

(Por Alberto Alerigi Jr., edição Raquel Stenzel)
(([email protected]; 5511-5644-7753; Reuters
Messaging: [email protected]))

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

Assuntos desta notícia