Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Julie Zhu e Norihiko Shirouzu
HONG KONG/PEQUIM, 29 Nov (Reuters) – A Daimler AG
recusou uma oferta da chinesa Geely para adquirir uma
participação de até 5 por cento na companhia europeia por meio
de uma colocação de ações com desconto, com a montadora alemã
relutando em ver as participações acionárias existentes
diluídas, disseram fontes com conhecimento das negociações.
Uma participação desse tamanho valeria 4,5 bilhões de
dólares a preços de mercado atuais. Embora tenha recusado a
oferta, a montadora disse à Geely que uma compra de ações no
mercado aberto era bem-vinda, acrescentaram as fontes.
As fabricantes de automóveis na China embarcaram em uma
enxurrada de acordos, à medida que buscam impulsionar a produção
de veículos elétricos e híbridos plug-in antes que sejam
impostas as novas cotas por Pequim, que quer reduzir a poluição
atmosférica urbana e diminuir a dependência do país por
petróleo.
Pessoas com conhecimento dos planos da Geely disseram que a
empresa estava interessada em acessar a tecnologia de baterias
para carros elétricos da Daimler e queria estabelecer uma joint
venture de carros elétricos em Wuhan, capital da província de
Hubei. A Geely, que também é dona da fabricante de automóveis
sueca Volvo, ainda tem esperanças de garantir um acordo de
alguma forma nas próximas semanas, acrescentaram.
As duas montadoras se reuniram em Pequim nas últimas
semanas, a pedido da Geely. Lá, a empresa chinesa conhecida
formalmente como Zhejiang Geely Holding Group GEELY.UL se
ofereceu para comprar uma participação entre 3 e 5 por cento, se
a Daimler emitisse novas ações com desconto, disseram as fontes.
Não ficou imediatamente claro que tipo de desconto a Geely
tinha em mente ou se a chinesa estaria interessada em adquirir
ações no mercado aberto.
Um porta-voz da Geely não quis comentar. Um porta-voz da
Daimler disse que a empresa estava "muito feliz com sua
estrutura acionária no momento", mas acrescentou que receberia
bem novos investidores com um interesse de longo prazo na
companhia.
((Tradução Redação São Paulo 56447764))
REUTERS NS RBS


Assuntos desta notícia