Clicky

MetaTrader 728×90

(Texto atualizado com dados oficiais de fechamento)
Por Paula Arend Laier
14 Mar (Reuters) – O principal índice de ações da B3 fechou
em queda nesta quarta-feira, tendo como pano de fundo perdas em
Wall Street, com o avanço das ações ordinárias da Vale
e preferenciais da Petrobras ajudando a
limitar as perdas.
O Ibovespa caiu 0,39 por cento, a 86.050 pontos. O
volume financeiro somou 9,77 bilhões de reais.
Em Wall Street, os principais índices acionários foram
pressionados negativamente pelo setor industrial, diante de
preocupações sobre o impacto de novas tarifas no comércio
global. O S&P 500 cedeu 0,57 por cento.
"Diante de agenda esvaziada no cenário doméstico, o
desempenho do hoje foi atrelado ao exterior, assim como nos
últimos dias", disse o analista Vitor Suzaki, da Lerosa
Investimentos.
Ele cita que o mercado está na expectativa das reuniões na
semana que vem do banco central norte-americano e da autoridade
monetária brasileira, particularmente os comunicados que
acompanharão as respectivas decisões de juros.
Mais cedo, dados fortes de atividade da economia chinesa
sustentaram ganhos no pregão brasileiro. Na máxima, o Ibovespa
chegou a 86.969 pontos, alta de 0,68 por cento.
A sessão ainda foi marcada pelo vencimento dos contratos de
opções sobre o Ibovespa.

DESTAQUES
– ITAÚ UNIBANCO PN caiu 2,23 por cento, pesando
no Ibovespa, dada a relevante participação que detém no índice.
No noticiário, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica
(Cade) aprovou nesta quarta-feira, por maioria, o acordo entre o
banco e a XP Investimentos mediante condições que buscam
garantir a concorrência no setor financeiro.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

– VALE ON avançou 1,12 por cento, em meio a alta
nos preços do minério de ferro na China, após dados econômicos
fortes daquele país apontarem para condições de demanda firme na
segunda maior economia do mundo.

– PETROBRAS PN subiu 1,22 por cento, mas
PETROBRAS ON encerrou com variação negativa de 0,25
por cento, em sessão de sobe e desce dos preços do petróleo no
exterior. A petroleira divulga resultado trimestral na
quinta-feira, antes da abertura do mercado.

– AMBEV ON fechou em alta de 1,29 por cento,
também dando algum suporte ao Ibovespa. O Morgan Stanley elevou
o preço-alvo da ação da fabricante de bebidas de 19 para 20
reais.

– SUZANO PAPEL E CELULOSE ON ganhou 5,49 por
cento e FIBRIA ON valorizou-se 3,64 por cento,
conforme os papéis seguiram influenciados por expectativas
relacionadas a uma possível combinação de negócios das duas
gigantes do setor de celulose. Fontes do BNDES afirmaram que o
banco deve decidir até o fim da próxima semana se apoia a
proposta da Suzano para fusão com a Fibria ou a oferta de
aquisição da Fibria pela Paper Excellence, do grupo asiático
APP.

– ELETROBRAS PNB e ELETROBRAS ON
caíram 7,36 e 6,86 por cento, respectivamente, um dia após a
Câmara dos Deputados instalar comissão e iniciar discussão sobre
privatização da companhia, com dúvidas sobre a capacidade de
atuação da base aliada a favor da proposta abrindo espaço para
realização de lucros. As preferenciais da elétrica ainda
acumulam em 2018 alta de 12,64 por cento, enquanto as ordinárias
sobem quase 18 por cento.

– NATURA ON perdeu 2,04 por cento, antes da
divulgação do balanço nesta quarta-feira, após o fechamento do
pregão.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

(Edição Flavia Bohone)
(([email protected]; +55 11 5644 7764; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia