Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

O Banco Votorantim apresentou seu balanço financeiro referente ao terceiro trimestre de 2017 e do acumulado no ano.

No 3T17, o lucro líquido ficou em R$ 153 milhões, representando altas de 36,8% ante os R$ 112 milhões do mesmo período do ano passado e 5,6% quando comparados aos R$ 145 milhões registrados no segundo trimestre deste ano. No acumulado dos nove meses de 2017, o lucro líquido somou R$ 426 milhões, crescimento de 39% sobre o mesmo período do ano passado. A melhora nesse desempenho é uma resposta ao crescimento da Margem Bruta e das receitas de prestação de serviços e seguros, e por menores despesas de pessoal e administrativas.

MetaTrader 300×250

No 3T17 houve expansão tanto da Margem Financeira Bruta (MFB) quanto das receitas com serviços e seguros, que combinadas totalizaram R$ 1,757 bilhão. Só as receitas com serviços e seguros representaram 25% do total de receitas no acumulado dos nove meses do ano, ante 21% no mesmo período do ano passado.

A Margem Financeira Bruta (MFB) somou R$ 1,323 bilhão no terceiro trimestre, crescimento de 8,3% em relação ao trimestre anterior, reflexo do aumento das receitas com financiamentos de veículos. Como consequência, a taxa média anualizada da margem financeira (NIM) alcançou 6%, ante 5,4% no trimestre anterior.

O presidente do Banco Votorantim, Elcio Jorge dos Santos, reforça que a instituição avançou na estratégia de diversificação e transformação digital, além de manter os objetivos de rentabilizar os negócios atuais e novos, e aumentar a eficiência operacional. “A diversificação das receitas tem sido uma estratégia de sucesso para manter a consistência nos resultados. Atingimos no trimestre a marca de um milhão de clientes em nossos cartões de crédito e em setembro ultrapassamos R$ 70 milhões em prêmios de Seguros e lançamos em parceria com a empresa Portal Solar, maior market-place de energia solar em atividade no Brasil, nosso produto de financiamento para aquisição de placa de energia solar residencial”, disse.

Em setembro, a carteira consolidada de operações de crédito classificada somou R$ 47,6 bilhões, com aumento de 1,7% frente o trimestre anterior e 1,3% em doze meses, em razão da expansão da carteira de financiamento de Veículos. No terceiro trimestre de 2017, o Banco manteve o foco no segmento de veículos leves usados, no qual possui histórico de liderança e reconhecida competência. O volume de originação de financiamentos de veículos somou R$ 4,2 bilhões no trimestre, sendo 88% de veículos leves usados.

A carteira de crédito do Varejo atingiu R$ 34,9 bilhões, 2,4% maior em relação ao segundo trimestre, enquanto a carteira de crédito ampliada do Atacado, que inclui garantias prestadas e TVM privado, encerrou setembro de 2017 com saldo de R$ 22,5 bilhões.

O Banco manteve o conservadorismo na concessão de financiamentos de veículos, registrando queda na inadimplência da carteira de Varejo acima de 90 dias (Inad 90), ficando em 4,8% em setembro de 2017, ante 5,2% ao final de junho. Na carteira total, o Inad 90 encerrou setembro deste ano em 4,1%, redução de 0,3 pontos percentuais no trimestre.

O resultado no Varejo de despesas com Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) e impairments caiu 4,4%, em linha com a tendência de melhora da inadimplência observada no período. Já no consolidado esse indicador cresceu 6,9% frente ao segundo trimestre do ano. Com atuação conservadora, o Banco Votorantim vem fortalecendo a qualidade do balanço e avançando na agenda de crescimento sustentável dos resultados. Nesse sentido, o Índice de Cobertura das operações em atraso acima de 90 dias foi ampliado de 127% em setembro de 2016 para 165% no fim do trimestre de setembro de 2017.

As despesas administrativas e de pessoal apresentaram redução nominal de 2,9% no trimestre e de 3,9% no comparativo acumulado dos nove meses do ano. Em razão do rígido controle de custos, o Índice de Eficiência dos últimos 12 meses melhorou, reduzindo de 37,5% em setembro do ano passado para 35,1% no terceiro trimestre de 2017.

Com relação ao capital, no final de setembro o Índice de Basileia foi de 14,6% – acima do mínimo regulatório de 10,5% – e com Capital Nível I de 10,9%, composto integralmente de Capital Principal.

Com relação à transformação digital, o banco implantou durante este trimestre a nova plataforma web para os lojistas de veículos e lançou, em parceria com a empresa Guia Bolso – uma das melhores Fintechs em atividade no Brasil – um novo produto para oferta de crédito pessoal 100% digital para os clientes do aplicativo.


Assuntos desta notícia

Join the Conversation