Clicky

MetaTrader 728×90

(Texto atualizado com mais informações)
Por Flavia Bohone
SÃO PAULO, 11 Mai (Reuters) – A B2W planeja
dobrar neste ano para 800 o número de lojas no país conectadas
ao sistema 'Click and Collect', ampliando a presença do serviço
para todos os Estados do país, disse nesta sexta-feira o diretor
financeiro e de relações com investidores da companhia, Fabio
Abate.
"Tendo a Lojas Americanas como acionista controlador com
essa capilaridade fantástica, é um caminho natural que a gente
esteja sempre observando essas localidades e, se for o caso, ir
implementando em todas essas lojas", disse Abate em
teleconferência com analistas para comentar os resultados da
empresa no primeiro trimestre.
Atualmente, o sistema 'Click and Collect', no qual o cliente
compra online e retira o produto na loja mais próxima de sua
casa, é oferecido em 400 unidades da Lojas Americanas.
Além disso, a empresa também está implementando o modelo que
trata cada loja física como um vendedor no marketplace da B2W,
com a retirada do produto em até 1 hora após a compra online.
Segundo o executivo, o objetivo é implementar o modelo ao
longo deste ano em todas as Lojas Americanas do país.
A B2W reportou na noite passada prejuízo de 115 milhões de
reais de janeiro a março, montante quase 35 por cento inferior
ao verificado um ano antes. A empresa também reduziu o consumo
de caixa em 58 por cento na mesma base de comparação,
totalizando 477,5 milhões de reais.
Às 16:37, as ações da B2W subiam 7,89 por cento, entre os
destaques positivos do Ibovespa , que caía 0,58 por
cento.
Para a equipe do BTG Pactual, a B2W apresentou dinâmicas
muito melhores de fluxo de caixa e um "conjunto decente de
resultados".
"Ao construir um ecossistema mais completo, a B2W está
criando os pilares (e uma vantagem competitiva) para amparar
crescimento acima da média de sua plataforma nos próximos anos,
com dinâmicas mais saudáveis de rentabilidade e de fluxo de
caixa livre", escreveram os analistas liderados Fabio Monteiro e
Luiz Guanais.
Em abril, a B2W deu início a um lançamento ainda em testes
do meio de pagamento Ame Digital, serviço que a empresa está
ampliando e, segundo Abate, terá novas funcionalidades ao longo
deste ano.

LOJAS AMERICANAS
A possibilidade de uma convergência entre Ame Digital e
+Aqui, responsável pela gestão e promoção de produtos
financeiros e serviços na Lojas Americanas, não foi descartada
pelo diretor financeiro da controladora, Carlos Padilha.
"Mas é uma coisa para se estudar, são oportunidades só",
disse Padilha.
Neste ano, a Lojas Americanas prevê a abertura de 30 novas
unidades das lojas de conveniência, e a partir de 2019 a empresa
estuda adotar o modelo de franquias para ajudar a expansão dos
estabelecimentos, segundo Padilha.
O executivo disse ainda que a empresa estuda parcerias com
escolas e hospitais para expandir os pontos de implementação de
lojas de conveniência.
Sobre a possibilidade da empresa expandir os negócios para
postos de gasolina, Padilha disse que a empresa já possui uma
unidade e que considera o modelo interessante.
"É factível sim, a gente inclusive tem um posto na Barra da
Tijuca (RJ)", disse o executivo ao responder questionamento de
um analista sobre o eventual interesse da empresa em expandir
para essa área de atuação, algo que já é explorado pelo grupo
Ultrapar no país por meio da rede de postos Ipiranga
e lojas de conveniência e farmácias associadas a eles.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

(Edição de Paula Arend Laier)
(([email protected]; 55 11 5644-7727; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia