Clicky

MetaTrader 728×90

LONDRES, 13 Fev (Reuters) – O aumento na produção global de
petróleo, liderado pelos Estados Unidos, provavelmente vai
ultrapassar o crescimento na demanda neste ano, afirmou a
Agência Internacional de Energia nesta terça-feira.
A agência aumentou a previsão de crescimento na demanda por
petróleo em 2018 para 1,4 milhão de barris por dia ante
estimativa anterior de 1,3 milhão, depois que o Fundo Monetário
Internacional (FMI) ampliou sua perspectiva para a expansão da
economia global este ano e em 2019.
A demanda por petróleo subiu a uma taxa de 1,6 milhão de
barris por dia em 2017, disse a AIE, em relatório mensal.
Entretanto, o rápido crescimento da produção pode superar
qualquer avanço na demanda e começar a elevar os estoques da
commodity.
"Hoje, depois de cortar custos acentuadamente, os produtores
norte-americanos estão aproveitando uma segunda onda de
crescimento tão extraordinária que em 2018 o aumento da produção
deles poderá se igualar ao crescimento da demanda global",
afirmou a AIE.
"Em apenas três meses até novembro, a produção de petróleo
dos EUA subiu em colossais 846 mil barris por dia e vai em breve
superar a da Arábia Saudita. Até o final deste ano, também
poderá superar a Rússia e virar um líder global."
A produção de petróleo dos EUA pode alcançar 11 milhões de
barris por dia até o final deste ano, segundo estimativas da
agência de informações de energia dos EUA.
A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep),
junto com outros exportadores como a Rússia, fizeram um acordo
para manter restrição sobre a oferta da commodity pelo segundo
ano em 2018 para forçar queda nos estoques e apoiar os preços.
Os estoques de petróleo nas nações mais ricas do mundo
caíram 55,6 milhões de barris em dezembro, para 2,851 bilhões de
barris, a queda mensal mais acentuada desde fevereiro de 2011,
afirmou a AIE.
"A alta nos preços do petróleo foi interrompida e invertida,
e, segundo nossa análise sobre o equlíbrio de oferta e demanda,
deve acontecer o mesmo nas ações do setor petrolífero, pelo
menos no início deste ano", afirmou a AIE.
(Por Amanda Cooper)
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447753))
REUTERS AAJ RB


Assuntos desta notícia

Join the Conversation