Clicky

MetaTrader 728×90

PARIS/FRANKFURT, 15 Set (Reuters) – A batalha sobre como e
onde os europeus recarregam seus carros elétricos está se
expandindo das cidades para as autoestradas do continente.
As concessionárias de energia, startups de tecnologia e as
grandes empresas de petróleo estão lutando para se tornarem
dominantes no negócio de estações de recarga, que está crescendo
rapidamente, mas o avanço dos veículos elétricos significa
mudança na localização dessas estações.
O reabastecimento de carros convencionais a gasolina e
diesel nas estradas tem sido dominado por companhias de
petróleo, que geralmente possuem suas próprias redes de postos
de abastecimento. Muitos agora estão falando sobre a criação de
redes de recarga de alta potência, criando uma grande
concorrência pelo espaço limitado nas áreas de serviço das
autoestradas.
Enquanto a autonomia dos veículos elétricos era de menos de
100 km, as concessionárias europeias estavam felizes em ajudar
cidades e empresas a instalar pontos de recarga baratos e lentos
em residências, escritórios e lojas, frequentemente apoiados por
subsídios estatais.
Mas as montadoras Tesla , Porsche e BMW
agora estão fazendo carros elétricos com autonomia
para viagens de longa duração. A Daimler e Volkswagen
também anunciaram planos para acelerar a mudança para carros
elétricos.
A infraestrutura de recarga permanece longe do ideal. "Onde
está a rede de pontos de recarga que será necessária? Na
verdade, onde estão a rede e a enegia?" questionou o chefe da
Jaguar Land Rover da Grã-Bretanha, Ralf Speth, na semana passada
Especialistas, incluindo a ChargePoint e a Engie ,
estão, no entanto, fazendo planos para construir redes
pan-europeias de estações velozes de alta voltagem, que podem
carregar uma bateria em menos de meia hora em vez de uma noite
inteira.
No Reino Unido, a startup InstaVolt, que levantou 12 milhões
de libras (16 milhõs de dólares) para instalar 3 mil pontos de
recarga até 2020, está alugando áreas das redes de postos
abastecimento, trazendo-lhes receita adicional da locação, bem
como o aumento do tráfego para suas lojas de conveniência.
A InstaVolt fechou um acordo em maio com a ChargePoint para
instalar cerca de 200 carregadores ultrarrápidos do grupo
norte-americano perto de estradas movimentadas em toda o Reino
Unido.
O Morgan Stanley estima que devem ser necessários de 1
milhão a 3 milhões de pontos públicos de recarga na Europa
Ocidental até 2030. Na visão do banco, embora as concessionárias
tenham as habilidades naturais na nova indústria, é muito cedo
para determinar quem estará na liderança. "O modelo de negócios
vencedor ainda precisa ser encontrado", afirmou.
Hoje, há menos de 100.000 pontos públicos de recarga
disponíveis na Europa, com apenas cerca de 6 por cento deles
rápidos, de acordo com a Agência Internacional de Energia.
(Por Geert De Clercq e Christoph Steitz)
((Tradução Redação São Paulo 56447764))
REUTERS NS RBS


Assuntos desta notícia

Join the Conversation