Clicky

MetaTrader 728×90

Por Michelle Price e Pete Schroeder
WASHINGTON, 1 Jun (Reuters) – O Deutsche Bank enfrentará
outro desafio neste mês, quando o Federal Reserve –o banco
central dos Estados Unidos– publica pela primeira vez os
resultados de um "teste de estresse" das operações do banco
alemão nos Estados Unidos.
O maior banco da Alemanha já enfrenta desafios com
reguladores bancários dos EUA e nos mercados financeiros, com o
preço de suas ações caindo para mínimas históricas na
quinta-feira. A Standard & Poor's rebaixou sua classificação de
crédito para BBB+ ante A- na sexta-feira.
O rebaixamento ocorreu após notícias divulgadas no início da
semana de que o Fed classificou um dos negócios norte-americanos
do Deutsche Bank como "problemático", algo que uma pessoa com
conhecimento do assunto confirmou à Reuters na sexta-feira.
Os resultados do teste de estresse do Fed, que devem ser
divulgados em algum momento neste mês, serão o próximo grande
barômetro público da força financeira do Deutsche Bank.
O regulador vem examinando desde 2009 como os maiores bancos
dos EUA lidariam com uma série de cenários econômicos e de
mercado adversos, exigindo que muitos reforçassem seus colchões
de capital e controles de gerenciamento de risco.
Mas este é o primeiro ano em que o Fed divulgará
publicamente os resultados de seis bancos estrangeiros,
incluindo o Deutsche Bank, depois de exigir que eles criassem
empresas holding consolidadas nos EUA com capital próprio. O Fed
testou essas novas entidades no ano passado, mas os resultados
são confidenciais.
Pode ser difícil para um banco que tem um negócio na lista
"problemática" passar nos cenários, disse uma pessoa
familiarizada com os testes, mas que não está autorizada a falar
publicamente. Isso porque falhas no gerenciamento de risco,
capital e liquidez que colocariam um banco na lista são
semelhantes àquelas que levam os bancos a não passar no teste de
estresse, disse a pessoa.
Além disso, muitas das holdings estrangeiras são
relativamente novas e tiveram pouco tempo para implementar os
sistemas e processos para lidar com os testes, acrescentou a
pessoa.
Na sexta-feira, o presidente-executivo do Deutsche Bank,
Christian Sewing, disse que o banco tem trabalhado para
"fortalecer nosso ambiente de controle interno e infraestrutura
e tratar de preocupações que foram identificadas tanto
internamente quanto por nossos reguladores".
Os cenários para este ano também são os mais difíceis até
hoje, dado que o Fed elevou o nível em meio a um ambiente
econômico amplamente melhor, com suposições mais extremadas em
torno das taxas de desemprego neste ano. A Reuters informou em
abril que o novo código tributário também poderia exacerbar o
impacto do capital nos testes.
Em anos anteriores, o Fed testou publicamente o Deutsche
Bank Trust Corp., uma subsidiária que inclui seus negócios de
transações e gestão de fortunas nos Estados Unidos.
Essa unidade foi aprovada no teste no ano passado, mas
fracassou em 2016 devido a "questões importantes de supervisão
não resolvidas que enfraquecem criticamente seu processo de
planejamento de capital", disse o Fed.
Os resultados deste ano incluirão todos os ativos
norte-americanos do Deutsche Bank, com exceção de agências,
incluindo a corretora para transações em Wall Street.
(Por Michelle Price)
((Tradução Redação São Paulo, +5511 5644 7719)
REUTERS RBS


Assuntos desta notícia