Clicky

MetaTrader 728×90

As contas públicas voltaram a ficar negativas em maio, depois de fecharem com superávit em abril. No mês passado, União, estados e municípios apresentaram déficit primário de R$ 30,736 bilhões, segundo dados divulgados hoje pelo Banco Central do Brasil (BCB).

O resultado primário é diferença entre receitas e despesas, sem considerar gastos com juros. Em abril deste ano, o resultado foi positivo em R$ 12,908 bilhões e em maio de 2016 houve déficit primário de R$ 18,125 bilhões.

MetaTrader 300×250

Em maio deste ano, o Governo Central (Previdência, Banco Central e Tesouro Nacional) apresentou défict primário de R$ 32,106 bilhões. Os governos estaduais apresentaram superávit de R$ 658 milhões e os municipais, resultado positivo de R$ 235 milhões.

As empresas estatais federais, estaduais e municipais, excluídas empresas dos grupos Petrobras e Eletrobras, registraram défict primário de R$ 475 milhões no mês passado.

De janeiro a maio, o setor público apresentou déficit primário de R$ 15,631 bilhões. No mesmo período de 2016, houve déficit primário de R$ 13,714 bilhões.

Os mês passado, e em R$ 175,073 bilhões de janeiro a maio. O setor público teve déficit nominal – formado pelo resultado primário e os resultados de juros – de R$ 190,704 bilhões de janeiro a maio. Somente no mês passado, o déficit nominal foi de R$ 66,989 bilhões.

A dívida líquida do setor público – balanço entre o total de créditos e débitos dos governos federal, estaduais e municipais – somou R$ 3,075 trilhões em maio, resultado que corresponde a 48,1% do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Em relação a abril, houve uma expansão de 0,7 ponto percentual.

A dívida bruta – que contabiliza apenas os passivos dos governos federal, estaduais e municipais – chegou a R$ 4,633 trilhões em maio (72,5% do PIB), com aumento de 1,2 ponto percentual do PIB em relação ao mês anterior.


Assuntos desta notícia