Clicky

MetaTrader 728×90

Por Jack Kim e Jamier Freed
CINGAPURA, 11 Mai (Reuters) – A viagem do líder da Coreia do
Norte, Kim Jong Un, a Cingapura para uma reunião de cúpula com o
presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apresenta desafios
logísticos que devem incluir o uso de aeronaves dos tempos
soviéticos para transportar o líder, sua limusine e dezenas de
funcionários de segurança e apoio.
A escolha de Cingapura como local do primeiro encontro da
história entre um presidente norte-americano no exercício do
cargo e um líder norte-coreano se deu tanto pelo fato de o país
estar a uma distância e um tempo de voo razoáveis de Pyongyang
quanto pela neutralidade política da ilha-estado, disse uma
autoridade presidencial sul-coreana a repórteres.
Desde que assumiu o posto em 2011, Kim só fez uma viagem
aérea conhecida ao exterior, quando visitou no início desta
semana a cidade de Dalian, na China, para conversar com o
presidente chinês, Xi Jinping. Ele voou em seu jato pessoal
Ilyushin-62M acompanhado de um avião de carga que, segundo
rumores transmitidos por pessoas a par dos assuntos
norte-coreanos, transportou sua limusine.
"Parece que a viagem a Dalian foi um ensaio", disse Andray
Abrahamian, pesquisador da Pacific Forum CSIS e antes da Choson
Exchange, um grupo sediado em Cingapura que ensina habilidades
comerciais a norte-coreanos.
Situada a 4.700 quilômetros do aeroporto Sunan, de
Pyongyang, Cingapura está bem dentro do alcance do Il-62M. O
avião soviético de fuselagem estreita com quatro motores começou
a ser usado nos anos 1970 e tem um alcance máximo de 10 mil
quilômetros.
Mas o avião de carga Ilyushin-76 não consegue voar mais de 3
mil quilômetros sem reabastecer se estiver com carga máxima, por
isso terá que parar em um território amistoso na rota para
Cingapura, como a capital do Vietnã, ou voar com carga reduzida.
O Il-76, projetado originalmente para transportar maquinário
pesado a partes remotas da União Soviética, é grande o
suficiente para acomodar um ônibus escolar ou dois contêineres,
segundo a operadora de voos de passageiros e de carga Antarctic
Logistics & Expeditions.
Mas a aeronave teve alguns problemas de segurança. No
incidente mais recente, ocorrido no mês passado, uma queda matou
as 257 pessoas a bordo depois de decolar de uma base aérea de
Argel, capital da Argélia.
Segundo um desertor familiarizado com detalhes de segurança,
não se tem conhecimento de que o líder norte-coreano tenha medo
de voar, ao contrário de seu pai, Kim Jong Il.
(Reportagem adicional de Dewey Sim, em Cingapura; e
Christine Kim e Joori Roh, em Seul)
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))
REUTERS PF


Assuntos desta notícia