Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Michael Martina e Robin Emmott
PEQUIM/BRUXELAS, 17 Abr (Reuters) – O representante de
comércio internacional da China realizou uma série de reuniões
com os embaixadores dos principais países europeus na semana
passada para pedir que se unissem a Pequim contra o
protecionismo dos Estados Unidos, segundo quatro fontes
familiarizadas com as discussões.
Alguns dos diplomatas ocidentais envolvidos nas reuniões com
Fu Ziying, que também é vice-ministro do Comércio, viram as
abordagens como um sinal de que o governo chinês está ansioso
com o crescente conflito com Washington, disseram as fontes.
O presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçou impor
tarifas sobre 150 bilhões de dólares em importações chinesas
para punir a China pelo que autoridades do governo
norte-americano consideram como políticas industriais
predatórias e abuso da propriedade intelectual. Pequim prometeu
retaliar.
Em meio às tensões crescentes entre os dois lados, a China
tem procurado conquistar terreno como defensora do sistema
multilateral de comércio, mesmo quando aliados dos EUA expressam
preocupação compartilhada com Washington sobre o mercado
altamente restrito de Pequim.
A corrida de reuniões na quinta e sexta-feira com
embaixadores da França, Alemanha, Reino Unido, Espanha, Itália e
União Europeia pode ser um sinal de que a China está tentando
construir uma barreira contra as medidas comerciais agressivas
de Trump, cuja severidade alguns diplomatas estrangeiros
disseram que Pequim havia calculado mal.
As reuniões individuais, que foram convocadas por Fu, foram
em geral "não conflituosas", uma vez que a China procurava apoio
para combater os Estados Unidos, disse à Reuters um diplomata
europeu com conhecimento sobre o assunto. Houve, no entanto,
algumas "ameaças subliminares" sobre as consequências para as
empresas estrangeiras, acrescentou.
"A China está mostrando confiança, mas internamente eles
parecem bastante preocupados. Eles aparentemente subestimaram a
determinação de Trump em relação ao comércio", disse o
diplomata. Três outras fontes confirmaram que as reuniões
ocorreram.
Uma porta-voz da embaixada italiana disse que seu embaixador
se encontrou com Fu em 12 de abril e que enquanto a disputa
comercial entre os EUA e a China foi discutida, a reunião foi
principalmente sobre questões bilaterais.
Uma porta-voz da embaixada britânica também confirmou que
seu embaixador se encontrou com Fu na semana passada como parte
de discussões regulares com o Ministério que abordou "questões
comerciais bilaterais e multilaterais".
Um porta-voz da delegação da União Europeia disse que seu
embaixador participou de uma reunião com Fu, mas não deu mais
detalhes. Um porta-voz da embaixada alemã se recusou a comentar
e as outras embaixadas não responderam aos pedidos de
comentários.
O Ministério do Comércio da China também não respondeu a um
pedido de comentário.
((Tradução Redação São Paulo; +55 11 56447509))
REUTERS TH PD


Assuntos desta notícia

Join the Conversation