Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

SÃO PAULO, 8 Dez (Reuters) – O Conselho Administrativo de
Defesa Econômica (Cade) declarou "complexa" a operação de fusão
internacional entre as óticas Essilor Internaciontal e
Luxottica e solicitou uma análise econômica da
operação, de acordo com nota técnica publicada no Diário Oficial
da União nesta sexta-feira.
A francesa Essilor, que tem entre as suas principais marcas
as lentes oftálmicas Variluz, Crizal e Transitions, tem 32
fábricas ao redor do mundo, sendo duas no Brasil, além de 490
laboratórios óticos, sendo 26 no Brasil. O grupo também produz
armações de óculos de grau que são vendidas online.
A Luxottica atua no design, fabricação e distribuição de
armações para óculos de grau e de sol, com 12 fábricas no mundo,
sendo uma no Brasil. Entre as suas principais marcas estão
Ray-Ban, Oakley, Vogue e Persol. A empresa italiana também tem a
licença das marcas Giorgio Armani, Chanel, Prada e Versace,
entre outros.
"Com o objetivo de melhor analisar os efeitos da operação
sobre a concorrência nos diversos mercados envolvidos, faz-se
necessário efetuar novas diligências … inclusive com a
realização de eventual estudo econômico", disse o órgão de
defesa da concorrência.
A operação de fusão de 54 bilhões de dólares levantou
preocupações regulatórias em vários países de que poderia levar
a um aumento de preços e forçar as empresas varejistas a comprar
lentes e armações da empresa combinada.

(Por Raquel Stenzel; Edição de Eduardo Simões)
(([email protected]; +55 11 56447719; Reuters
Messaging: [email protected]))

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

Assuntos desta notícia