Clicky

BOM DIA INVESTIDOR: Ainda sob influência do Brexit

mm lci boxe 728

Novamente os mercados no mundo foram completamente influenciados pelas pesquisas sobre permanência ou saída do Reino Unido da União Europeia. Nessa manhã, as pesquisas davam conta que a posição pró-Europa tinha se fortalecido ligeiramente, mas o suficiente para motivar investidores. Se as pesquisas mostravam equilíbrio, já nas casas de apostas, a posição de ficar chegava em alguns casos a 85%.

O resultado de tudo isso deve estar colocado na madrugada dessa sexta-feira e vai forçar posicionamentos. Mesmo no caso de permanência (o que não mudaria muito o quadro), ainda assim, o equilíbrio de forças deve obrigar repensar acordos comerciais, imigração e outras situações entre os países signatários.

300×250 4 reais

Logo cedo, tivemos a divulgação de indicadores de atividade (PMI Composto) na Europa para o mês de junho. Mostraram desaceleração, apesar de ainda acima de 50 pontos, o que indica expansão da atividade. Só a França e Japão mostraram contração da atividade. Nos EUA, os pedidos de auxílio desemprego encolheram 18000 posições para 259000, o menor nível desde abril. O índice de atividade nacional do FED de Chicago de maio registrou queda para -0,51 pontos e a venda de casas novas encolheu 6,0% em maio. O índice de atividade do FED de Kansas subiu em junho para 2 pontos.

Na sequência dos mercados, o petróleo Brent registrava alta de 1,86%, com o barril cotado a US$ 50,81. O euro era transacionado em alta para US$ 1,1348 e os notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,74% em alta. O ouro foi negociado em queda e a prata em alta na Comex e commodities agrícolas na bolsa de Chicago com comportamento misto. O minério de ferro negociado no spot chinês durante a madrugada ficou estável em US$ 51,70.

No cenário local, o lado político, predominou com desdobramento da operação “Pixuleco”, na intitulada “custo Brasil” que prendeu o ex-ministro Paulo Bernardo e levou coercitivamente outro ministro, Carlos Gaba. Isso piora um pouco a situação de impeachment de Dilma. O placar está em 38 pró e 18 contra. A FGV anunciou o IPC-S da terceira quadrissemana de junho com inflação em desaceleração para 0,33%, vindo de 0,45%.

No mercado, os DIs tiveram dia de encolhimento de juros para todos os vencimentos e o dólar fechou em queda de 1,09%, cotado a R$ 3,342. Na Bovespa, na sessão de 21 de junho, os investidores estrangeiros alocaram recursos no montante de R$ 290,9 milhões, deixando o saldo positivo de junho em R$ 1,44 bilhão e o do ano com ingresso líquido de R$ 12,9 bilhões.

No mercado acionário, dia de alta para as principais bolsas europeias, com Londres subindo 1,23%, Paris com +1,96% e Frankfurt com +1,85%. Madri e Milão com altas de respectivamente 2,11% e 3,71%.

No mercado americano, dia de alta do Dow Jones de 1,29% e o Nasdaq com 1,59%. Na Bovespa, alta de 2,80%, com o índice em 51554 pontos e destaque para Vale Petrobras e siderúrgicas.

Na agenda de amanhã, o Bacen mostra a nota do setor externo de maio e nos EUA teremos as encomendas de bens duráveis de maio e a confiança do consumidor de junho.


Assuntos desta notícia