Clicky

BOM DIA INVESTIDOR: Ainda sob influência do Brexit

MetaTrader 728×90

Novamente os mercados no mundo foram completamente influenciados pelas pesquisas sobre permanência ou saída do Reino Unido da União Europeia. Nessa manhã, as pesquisas davam conta que a posição pró-Europa tinha se fortalecido ligeiramente, mas o suficiente para motivar investidores. Se as pesquisas mostravam equilíbrio, já nas casas de apostas, a posição de ficar chegava em alguns casos a 85%.

O resultado de tudo isso deve estar colocado na madrugada dessa sexta-feira e vai forçar posicionamentos. Mesmo no caso de permanência (o que não mudaria muito o quadro), ainda assim, o equilíbrio de forças deve obrigar repensar acordos comerciais, imigração e outras situações entre os países signatários.

Chart Trading 300×250

Logo cedo, tivemos a divulgação de indicadores de atividade (PMI Composto) na Europa para o mês de junho. Mostraram desaceleração, apesar de ainda acima de 50 pontos, o que indica expansão da atividade. Só a França e Japão mostraram contração da atividade. Nos EUA, os pedidos de auxílio desemprego encolheram 18000 posições para 259000, o menor nível desde abril. O índice de atividade nacional do FED de Chicago de maio registrou queda para -0,51 pontos e a venda de casas novas encolheu 6,0% em maio. O índice de atividade do FED de Kansas subiu em junho para 2 pontos.

Na sequência dos mercados, o petróleo Brent registrava alta de 1,86%, com o barril cotado a US$ 50,81. O euro era transacionado em alta para US$ 1,1348 e os notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 1,74% em alta. O ouro foi negociado em queda e a prata em alta na Comex e commodities agrícolas na bolsa de Chicago com comportamento misto. O minério de ferro negociado no spot chinês durante a madrugada ficou estável em US$ 51,70.

No cenário local, o lado político, predominou com desdobramento da operação “Pixuleco”, na intitulada “custo Brasil” que prendeu o ex-ministro Paulo Bernardo e levou coercitivamente outro ministro, Carlos Gaba. Isso piora um pouco a situação de impeachment de Dilma. O placar está em 38 pró e 18 contra. A FGV anunciou o IPC-S da terceira quadrissemana de junho com inflação em desaceleração para 0,33%, vindo de 0,45%.

No mercado, os DIs tiveram dia de encolhimento de juros para todos os vencimentos e o dólar fechou em queda de 1,09%, cotado a R$ 3,342. Na Bovespa, na sessão de 21 de junho, os investidores estrangeiros alocaram recursos no montante de R$ 290,9 milhões, deixando o saldo positivo de junho em R$ 1,44 bilhão e o do ano com ingresso líquido de R$ 12,9 bilhões.

No mercado acionário, dia de alta para as principais bolsas europeias, com Londres subindo 1,23%, Paris com +1,96% e Frankfurt com +1,85%. Madri e Milão com altas de respectivamente 2,11% e 3,71%.

No mercado americano, dia de alta do Dow Jones de 1,29% e o Nasdaq com 1,59%. Na Bovespa, alta de 2,80%, com o índice em 51554 pontos e destaque para Vale Petrobras e siderúrgicas.

Na agenda de amanhã, o Bacen mostra a nota do setor externo de maio e nos EUA teremos as encomendas de bens duráveis de maio e a confiança do consumidor de junho.


Assuntos desta notícia