Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Stanley White e Leika Kihara
TÓQUIO, 13 Fev (Reuters) – O ministro das Finanças do Japão,
Taro Aso, afirmou que o próximo presidente do banco central
precisará de habilidades em inglês para lidar com questões
financeiras globais, endossando uma série de notícias da mídia
local segundo as quais o presidente atual, Haruhiko Kuroda, será
indicado para um raro segundo mandato.
O primeiro-ministro, Shinzo Abe, afirmou que ainda não
decidiu quem vai escolher como próximo presidente do banco
central, mas refutou os pedidos de um legislador da oposição
para substituir Kuroda, dados os problemas que a política de
taxa de juros negativa do banco central está infligindo aos
bancos comerciais.
"Pesquisas mostram que as atitudes de empréstimo dos bancos
a empresas de pequeno e médio porte continuam saudáveis mesmo
após a adoção de juros negativos", disse Abe ao Parlamento na
terça-feira.
"Eu espero que o Banco do Japão continue a adotar medidas
ousadas para alcançar a estabilidade de preços em resposta aos
movimentos de preços e à economia", disse ele, destacando as
visões dominantes no mercado de que a transição não levará a uma
retirada antecipada do estímulo.
Aso disse ao mesmo comitê parlamentar que falar inglês
fluente é uma "condição muito importante" para chefiar o banco
central, bem como habilidades de comunicação para explicar a
política monetária no Parlamento e energia para viajar ao
exterior.
Ex-chefe do Banco de Desenvolvimento Asiático, Kuroda é
conhecido por falar inglês fluentemente e por ter cultivado
profundos contatos com autoridades globais.
Notícias da mídia, confirmadas por uma fonte, disseram que o
governo decidiu indicar Kuroda para mais cinco anos como
presidente do Banco do Japão quando seu mandato atual terminar
em abril. O governo deve apresentar sua indicação ao Parlamento
ainda este mês, segundo a fonte.
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7729))
REUTERS CMO


Assuntos desta notícia