Clicky

MetaTrader 728×90

Por Swati Pandey
SYDNEY, 23 Nov (Reuters) – A Austrália pediu nesta
quinta-feira que os Estados Unidos estabeleçam uma presença
forte na Ásia e fortaleçam os laços com parceiros "de
mentalidade semelhante", ao mesmo tempo em que alertou para a
influência crescente da China.
Um isolamento norte-americano seria prejudicial para a
natureza liberal da "ordem baseada em regras" do mundo, disse o
governo em um 'dossiê branco' de política externa de 115
páginas.
"A Austrália acredita que os desafios internacionais só
podem ser enfrentados eficazmente quando o país mais rico, mas
inovador e mais poderoso do mundo está engajado em resolvê-los",
disse Camberra.
O dossiê branco é um guia para a diplomacia australiana que
fornece um roteiro para que a nação progrida em seus interesses.
A eleição do presidente Donald Trump representou um passo
rumo a um mundo mais isolacionista, o que pode ser negativo para
a economia da Austrália, que é dependente das exportações,
disseram comentaristas.
Trump retirou os EUA da Parceria Transpacífico, um acordo
comercial regional, em janeiro, pouco depois de tomar posse.
"Um engajamento forte e prolongado dos EUA no sistema
internacional continua fundamental para a estabilidade e a
prosperidade internacionais", disse o governo no documento.
"Sem tal engajamento, a eficácia e o caráter liberal da
ordem internacional seriam erodidos".
A Austrália é um dos maiores aliados de Washington, e tropas
dos dois países lutaram lado a lado em todos os grandes
conflitos ao longo de gerações.
Mas o crescimento econômico e o poder de que os EUA vêm
desfrutando desde o final da Segunda Guerra Mundial agora estão
sendo desafiados pela China, segundo a Austrália.
Austrália e China têm laços econômicos fortes, mas Pequim
suspeita do relacionamento militar próximo dos australianos com
os EUA.
(Reportagem adicional de Philip Wen em Pequim)
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))
REUTERS PF


Assuntos desta notícia