Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

(Atualizado com mais informações e contexto)
Por José Roberto Gomes
SÃO PAULO, 10 Nov (Reuters) – Um dia após retomar as
operações na Refinaria de Paulínia (Replan), no interior de São
Paulo, a Petrobras voltou a ter problemas em outra
planta de refino, a Reduc, em Duque de Caxias (RJ), que segue
paralisada, disseram sindicatos.
Conforme a estatal, houve na madrugada desta sexta-feira uma
parada nas unidades de processo da Reduc por causa de uma falha
no fornecimento de energia, "sem impacto às pessoas ou ao meio
ambiente".
À Reuters, o diretor do Sindicato dos Petroleiros de Duque
de Caxias (Sindipetro Caxias), Simão Zanardi, disse que o
problema aconteceu às 3h.
"Teve uma variação na casa de força, os operadores não
conseguiram controlá-la e, então, as caldeiras pararam. Quando
elas pararam, acabou o fornecimento de energia e houve um
blecaute", explicou o sindicalista.
Para ele, a interrupção na Reduc é resultado do enxugamento
do quadro de profissionais e também da falta de manutenção dos
equipamentos, um argumento que tem sido apresentado por
sindicatos de funcionários de refinarias periodicamente.
Conforme Zanardi, a Reduc pode voltar a operar à noite, mas
ainda assim longe da capacidade total. Isso porque os trabalhos
são retomados aos poucos e dependem de análises laboratoriais
sobre os derivados produzidos.
Em todo o polo petroquímico de Duque de Caxias trabalham 15
mil pessoas, sendo pouco mais de 3 mil só na Reduc, entre
empregados próprios e terceirizados, disse Zanardi.
Procurada, a assessoria de imprensa da Petrobras não
respondeu imediatamente sobre as críticas feitas pelo sindicato
sobre a alegada redução de pessoal e falta de manutenção de
equipamentos.
A empresa também não fez atualizações sobre como está a
situação na refinaria.
Em nota divulgada pela manhã, disse que "a causa da
ocorrência está sendo investigada e a refinaria já se encontra
em processo de normalização da produção".

SEGUNDO PROBLEMA NO MÊS
A parada nas operações da Reduc se segue a uma interrupção
na Replan, na região de Campinas (SP), ocorrida na quarta-feira
da semana passada e que só foi normalizada mais de uma semana
depois, no dia 9, segundo o Sindicato Unificado dos Petroleiros
de São Paulo (Sindipetro-SP).
A assessoria de imprensa da Petrobras confirmou que a Replan
já está operando "100 por cento", mas não precisou a data de
quando isso ocorreu.
Ainda de acordo com a estatal, "não houve impacto no mercado
de derivados por causa dos problemas na Replan e na Reduc".
A Replan é a maior refinaria do Brasil, com capacidade para
processar o equivalente a 415 mil barris de petróleo.
Já a Reduc pode refinar 239 mil barris por dia. Inaugurada
em 1961, a refinaria possui 43 unidades de processos e atende os
mercados de Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Minas
Gerais, Bahia, Ceará, Paraná e Rio Grande do Sul.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

(Edição de Marta Nogueira e Roberto Samora)
(([email protected]; 55 11 5644 7762; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia

Join the Conversation