Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

(Texto atualizado com mais informações)
Por Jesús Aguado e Isla Binnie
MADRI, 17 Abr (Reuters) – O presidente do Federal Reserve de
São Francisco, John Williams, disse nesta terça-feira que espera
que a inflação dos Estados Unidos suba à meta de 2 por cento do
banco central norte-americano este ano e permaneça nela ou acima
por "mais alguns anos", mesmo que o Fed continue elevando a taxa
de juros.
"Não estou tão preocupado com a inflação agora já que acho
que há fatores globais que estão mantendo a inflação baixa",
disse ele no Banco de España, em Madri. Ainda assim, disse ele,
o Fed precisa continuar elevando os juros para a evitar que a
economia superaqueça.
No mês passado, o Fed aumentou os juros para a faixa entre
1,5 e 1,75 por cento, e a maioria das autoridades projeta mais
altas este ano, com a taxa entre 3,1 e 3,6 por cento até 2020.
Isso ficaria acima do rendimento atual do Treasury de 10
anos, mas Williams afirmou que conforme o Fed elevar os juros de
curto prazo e continuar reduzindo seu balanço patrimonial, as
taxas de longo prazo também aumentarão.
"Eu pessoalmente não prevejo uma inversão da curva de
rendimento nos próximos anos", disse ele a repórteres após o
discurso. "Eu veria uma inversão da curva de rendimento como um
sinal de alerta de que o sentimento é de que o crescimento vai
desacelerar de forma acentuada."
Williams, que assumirá o cargo de chefe do Fed de Nova York,
também avaliou a disputa comercial entre o governo de Trump e
países com o qual os EUA têm déficit comercial, incluindo a
China.
Embora ações adotadas até agora tenham tido pouco efeito
sobre o cenário econômico, ele afirmou que "o que me preocupa
sobre a discussão comercial além do que aconteceu é, se tivermos
uma incerteza contínua sobre a política comercial, em relação ao
que vai acontecer nos próximos anos."
((Tradução Redação São Paulo; +55 11 56447509))
REUTERS CMO PD


Assuntos desta notícia

Join the Conversation