Clicky

MetaTrader 728×90

(Texto atualizado com mais informações e contexto)
Por Marta Nogueira
RIO DE JANEIRO, 11 Jan (Reuters) – A norueguesa Statoil
obteve licença de operação do órgão ambiental federal
do Brasil (Ibama) para perfurar sete poços no bloco BM-S-8, onde
está a promissora descoberta de Carcará, no pré-sal da Bacia de
Santos, segundo documento visto pela Reuters nesta quinta-feira.
O documento, emitido na quarta-feira, também concede aval
para um teste de formação de curta duração (DST), em poço já
existente, no mesmo bloco.
A licença é válida por quatro anos, a contar da data em que
foi emitida, segundo o Ibama, caso a empresa cumpra
condicionantes determinadas pelo órgão.
A Statoil é operadora e tem como parceiros no ativo a
norte-americana Exxon , a portuguesa Galp e a
brasileira Barra Energia, controlada pelos fundos de private
equity First Reserve e Riverstone Holdings .
O bloco, que ainda está em fase exploratória, era operado
inicialmente pela Petrobras e, após promissoras
descobertas geológicas, foi fruto de negociações bilionárias nos
últimos anos, que marcaram a saída da petroleira estatal da área
e a entrada de algumas das maiores petroleiras do mundo.
Em julho de 2016, a Petrobras anunciou a venda para a
petroleira norueguesa da operação e toda a sua fatia no bloco de
66 por cento por 2,5 bilhões de dólares.
Posteriormente, a Statoil comprou a fatia de 10 por cento
que a Queiroz Galvão Exploração e Produção (QGEP) detinha no
bloco, por 379 milhões de dólares.
Em outubro de 2017, uma área adjacente à descoberta de
Carcará foi ofertada em um leilão do pré-sal e arrematada por 3
bilhões de reais por um consórcio formado por Statoil,
ExxonMobil e Galp. Em seguida, as empresas concordaram em
alinhar fatias acionárias na região, em um negócio de 1,55
bilhões de dólares.
Procurada nesta quinta-feira para comentar a licença para
operação, a Statoil não pode responder imediatamente ao pedido
de comentários.

PETROBRAS
O Ibama também concedeu à Petrobras uma licença para a
instalação da plataforma P-74, no campo de Búzios, na área da
cessão onerosa, no pré-sal da Bacia de Santos, segundo
documentos do Ibama e confirmação da petroleira.
A Petrobras não deu previsões para o recebimento da licença
de operação ou para o início da produção da unidade, segundo uma
mensagem enviada por email à Reuters.
A P-74, uma das oito previstas pela empresa para entrar em
produção neste ano, poderá ser a primeira a entrar em operação
na cessão onerosa.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

(Por Marta Nogueira; edição de Roberto Samora; MPP)
(([email protected]; +55 21 2223 7104; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia