Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

(Texto reescrito com mais detalhes e contexto)
Por David Alire Garcia e Miguel Gutierrez
CIDADE DO MÉXICO, 5 Jun (Reuters) – O México impôs nesta
terça-feira tarifas sobre produtos dos Estados Unidos, desde o
aço até carne de porco e bourbon, em retaliação contra as taxas
de importação sobre metais estabelecidas pelo presidente Donald
Trump, e mirando os redutos republicanos antes das eleições do
Congresso dos EUA em novembro.
A resposta do México aumenta ainda mais as tensões
comerciais entre os dois países e adiciona uma nova complicação
aos esforços de renegociação do Acordo de Livre Comércio da
América do Norte (Nafta) entre o Canadá, os EUA e o México.
Os produtores norte-americanos de suínos, para quem o México
é o maior mercado de exportação, ficaram consternados com a
decisão mexicana.
Na semana passada, Trump incomodou alguns dos aliados mais
próximos dos EUA ao remover as isenções tarifárias sobre o aço e
alumínio importados que sua administração havia concedido ao
México, Canadá e União Europeia.
Enquanto isso, o assessor de Trump, Larry Kudlow, reviveu
nesta terça-feira a possibilidade de o presidente procurar
substituir Nafta de trilhões de dólares por acordos bilaterais
com o Canadá e o México, uma mudança que os dois outros países
dizem ser contra.
Depois das notícias sobre as novas tarifas mexicanas, que
entraram em vigor imediatamente, o peso caiu para
sua mínima desde fevereiro de 2017, levando a perdas entre as
principais moedas.
A lista do México inclui uma tarifa de 20 por cento sobre
pernil e paleta de porco, maçãs e batatas e tarifas de 20 a 25
por cento em tipos de queijo e bourbon, disse o Ministério da
Economia mexicano no Diário Oficial do país.
Uma gama de produtos de aço dos EUA será atingido por
tarifas de 25 por cento. O México é um importante importador de
aço dos EUA.
Negociadores comerciais mexicanos pensaram a lista, em
parte, para incluir produtos exportados pelos Estados dos
principais líderes republicanos, como Indiana, de onde o
vice-presidente Mike Pence era governador, de acordo com fontes
do setor comercial familiares com a questão.
As tarifas de retaliação também podem ter implicações
políticas em algumas disputas acirradas, conforme os
republicanos procuram manter o controle sobre as duas casas do
Congresso norte-americano. Iowa, Estado produtor de carne suína,
onde o atual deputado republicano Rod Blum é considerado
vulnerável na eleição de novembro, é um exemplo de um lugar onde
o partido de Trump pode ser atingido.
Os principais Estados produtores de queijo incluem a
Califórnia, Nova York e Wisconsin, casa do presidente da Câmara
dos Representantes, Paul Ryan, que está se aposentando do
Congresso. Kentucky, produtor de bourbon, é o Estado natal do
líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, um republicano.
(Por Michael O'Boyle; Reportagem adicional por PJ
Huffstutter e Dave Graham)
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS JRG RBS IM


Assuntos desta notícia