Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

(Texto reescrito e atualizado com mais informações)
Por José Roberto Gomes
SÃO PAULO, 15 Fev (Reuters) – A safra de laranja 2017/18 no
parque citrícola de São Paulo e Minas Gerais, principal região
produtora do Brasil, deve alcançar quase 400 milhões de caixas e
ser a maior desde a temporada 2011/12, em meio a chuvas
favoráveis e ganho de peso dos frutos, disse nesta quinta-feira
o Fundecitrus.
Em sua quarta e última estimativa para o ciclo vigente, o
Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) apontou uma
produção de 397,27 milhões de caixas na região, alta de 3,1 por
cento sobre o esperado em dezembro e de 9 por cento ante o
número inicial, de maio.
O volume é ainda expressivos 62 por cento maior na
comparação com as cerca de 245 milhões de caixas de 2016/17, o
que deve ajudar na recomposição dos estoques de suco de laranja
do Brasil, maior produtor e exportador da commodity. A temporada
passada foi marcada por problemas climáticos, que não se
repetiram no ciclo atual.
"O que mais puxou a safra para cima foi o ganho de peso dos
frutos… Não esperávamos tanta chuva, que ficou 25 por cento
acima da média histórica entre outubro e janeiro. Não era
esperada uma chuva tão forte assim", comentou o coordenador da
pesquisa do Fundecitrus, Vinícius Trombin, à Reuters.
As precipitações proporcionam um maior acúmulo de água nos
frutos, resultando em maior peso. O Fundecitrus projeta, agora,
um peso médio de 165 gramas por fruto, contra 162 gramas na
estimativa de dezembro.
Além disso, tratos culturais e redução na taxa de queda de
frutos também contribuem para uma produção maior. Segundo
Trombin, a queda está cerca de um ponto percentual menor em
relação ao valor projetado inicialmente.
Segundo o Fundecitrus, as chuvas abundantes em todas as
regiões produtoras do cinturão citrícola ocorreram no período de
outubro a janeiro. O efeito dessas chuvas foi observado,
principalmente, na variedade Pera Rio e com mais intensidade nas
variedades tardias em função da época de colheita.

ESTOQUES
Caso se confirme, a safra de laranja 2017/18 no cinturão
produtor do Brasil será a maior desde 2011/12, quando foram
colhidas 416 milhões de caixas, afirmou Trombin, lembrando que
já houve no passado volumes ainda maiores que esses.
Segundo o coordenador, no entanto, os estoques de suco de
laranja gerados pela grande safra não devem ser tão expressivos
a ponto de resultar em elevados excedentes, justamente porque o
país vem de uma temporada (2016/17) muito fraca.
"Não vamos chegar a níveis de estoques tão fortes", avaliou.
A produção deprimida no ciclo anterior levou o Brasil não só
a reservas menores, mas também às exportações mais baixas em 25
anos.

MetaTrader 300×250

(Edição de Roberto Samora)
(([email protected]; 55 11 5644 7762; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia

Join the Conversation