Clicky

MetaTrader 728×90

(Texto atualizado com mais informações e declarações)
NOVA YORK, 9 Mai (Reuters) – A consultoria Datagro projetou
nesta quarta-feira duas safras consecutivas de superávits de
açúcar, citando uma ampla oferta na Ásia, a despeito de uma
menor fabricação pelas usinas do Brasil.
O mundo terá um superávit de 7,56 milhões de toneladas na
temporada que começa em 1º de outubro (2018/19), uma revisão
para cima frente à previsão anterior de 6,3 milhões de
toneladas, disse o presidente da Datagro, Plinio Nastari, a
repórteres durante a Semana do Açúcar, em Nova York.
Isso vai se seguir a um superávit de 10,79 milhões de
toneladas em 2017/18, levando ao maior superávit de dois anos já
registrado, disse Nastari, notando o aumento do fornecimento
mesmo quando usinas no centro-sul do Brasil reduzem a produção
do adoçante em favor de mais etanol.
A Datagro manteve suas perspectivas de queda na produção do
centro-sul, devido a problemas de qualidade da cana e ao foco
das usinas no etanol. O centro-sul produzirá 30,8 milhões de
toneladas de açúcar e 26,9 bilhões de litros de etanol,
representando um mix de açúcar de cerca de 42 por cento.
"No centro-sul, a qualidade da cana não parece boa", disse
Nastari, citando secura e pragas.
A Índia, segundo maior produtor mundial, produzirá 31,5
milhões de toneladas de açúcar refinado neste ano, disse
Nastari. A produção da Tailândia será de 14,76 milhões de
toneladas, em valor bruto.
Algumas usinas menores no Brasil fecharão este ano como
resultado da pressão financeira, com os preços caindo abaixo do
custo de produção, disse Nastari. Mas outros estão começando a
reabrir, incluindo duas usinas que foram reabertas por novos
proprietários.
(Por Chris Prentice)
((Tradução Redação São Paulo; +55 11 56447509))
REUTERS TH JRG


Assuntos desta notícia