Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

(Texto atualizado com mais informações)
Por Lucia Mutikani
WASHINGTON, 5 Jan (Reuters) – A criação de empregos nos
Estados Unidos desacelerou mais do que o esperado em dezembro em
meio a uma queda no setor de varejo, mas uma aceleração no
aumento salarial indicou força do mercado de trabalho que pode
abrir caminho para o Federal Reserve elevar a taxa de juros em
março.
A economia norte-americana abriu 148 mil vagas de trabalho
fora do setor agrícola no mês passado, informou o Departamento
do Trabalho nesta sexta-feira, contra expectativa de criação de
190 mil.
No varejo, foram fechados 20.300 postos em dezembro, o maior
número desde março, apesar da forte temporada de compras de fim
de ano.
Os dados de emprego de outubro e novembro foram revisados
para mostrar 9 mil vagas a menos do que informado anteriormente.
O emprego aumentou em outubro e novembro depois de ficar
contido em setembro devido aos furacões, que destruíram
infraestrutura e moradias e desalojaram temporariamente
trabalhadores no Texas e na Flórida.
A renda média por hora avançou 9 centavos, ou 0,3 por cento,
em dezembro após subir 0,1 por cento no mês anterior. Isso
elevou o aumento anual dos salários para 2,5 por cento de 2,4
por cento em novembro. A taxa de desemprego permaneceu na mínima
de 17 anos de 4,1 por cento.
A criação de vagas está desacelerando conforme o mercado de
trabalho dos EUA se aproxima do pleno emprego. Ele pode ganhar
um impulso do pacote de 1,5 trilhão de dólares de cortes
tributários aprovado pelo Congresso norte-americano e sancionado
pelo presidente Donald Trump no mês passado.
Mas o aumento com o estímulo fiscal, que inclui forte
redução no imposto corporativo para 21 por cento de 35 por
cento, deve ser modesto já que o estímulo acontece com a
economia operando quase a plena capacidade. Há preocupações de
que a economia pode superaquecer.
Em 2017 como um todo, a economia criou 2,1 milhões de vagas,
contra 2,2 milhões em 2016. Já em relação à taxa de desemprego,
ela recuou 0,7 ponto percentual no ano passado.
Economistas acreditam que a taxa pode chegar a 3,5 por cento
até o final deste ano, o que poderia potencialmente desencadear
um ritmo mais rápido de crescimento do salário e se traduzir em
um aumento mais forte da inflação do que esperado.
Isso, de acordo com economistas, forçaria o Fed a quatro
altas de juros neste ano em vez das três que indicou. O banco
central dos EUA elevou os juros três vezes em 2017.
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7729))
REUTERS CMO ID


Assuntos desta notícia