Clicky

MetaTrader 728×90

(Texto atualizado com mais informações)
PEQUIM, 5 Jan (Reuters) – O Ministério do Comércio da China
disse nesta sexta-feira que limitará as exportações de petróleo,
produtos refinados, aço e outros metais para a Coreia do Norte,
em linha com as novas sanções aplicadas pelas Nações Unidas por
causa dos testes de Pyongyang com mísseis.
O comunicado ocorre após o Conselho de Segurança da ONU
aplicar no mês passado, por unanimidade, novas penalidades à
Coreia no Norte em razão de seu recente teste com míssil
balístico intercontinental, procurando restringir o acesso do
país a produtos refinados e petróleo.
As medidas chinesas terão efeito a partir de 6 de janeiro.
O anúncio chinês acontece após um acordo anunciado na
sexta-feira pelo qual a Coreia do Norte realizará conversas
oficiais com a vizinha Coreia do Sul na próxima semana, o
primeiro diálogo em mais de dois anos, em meio a crescentes
tensões em relação a seus programas nucleares e de mísseis.
Na terça-feira, o governo chinês disse que continuaria a
aderir às recentes sanções da ONU.
Em novembro, a China, um dos principais parceiros comerciais
da Coreia do Norte, não exportou produtos petrolíferos para o
país, aparentemente indo além das restrições das Nações Unidas.
Entre as medidas na resolução de dezembro, a ONU proíbe
quase 90 por cento das exportações de petróleo refinado para a
Coreia do Norte, limitando-as a 500 mil barris por ano, e corta
ainda o suprimento de petróleo a 4 milhões de barris por ano.
(Por Josephine Mason)
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS JRG LC


Assuntos desta notícia