Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

(Texto atualizado com mais informações)
Por Aluisio Alves
SÃO PAULO, 17 Jan (Reuters) – A BB Seguridade ,
braço de seguros e previdência do Banco do Brasil ,
fez uma oferta para ter o direito de vender serviços de seguros
da Caixa Econômica Federal, disseram à Reuters fontes a par do
assunto.
O movimento causou espanto dentro e fora da Caixa Econômica,
dado o potencial conflito de interesses diante de uma eventual
vitória da BB Seguridade na concorrência.
Está em jogo no certame o direito de vender seguros como
residencial e automotivo da Caixa. A movimentação é fruto da
renegociação dos termos de um acordo anterior do banco com a
francesa CNP Assurances , que é sócia na Caixa
Seguradora.
O acordo Caixa-CNP, que está perto de vencer, garante
exclusividade na negociação dos produtos de seguros da Caixa. Os
sócios passaram os últimos dois anos negociando uma extensão do
acordo, sem sucesso. Nesse meio tempo, a Caixa constituiu a
Caixa Seguridade, que reúne suas participações no setor.
A Caixa Seguridade chegou perto de listar suas ações na
bolsa paulista, mas o presidente-executivo da companhia, Raphael
Rezende, revelou à Reuters em fevereiro passado que os planos
foram suspensos, entre outros motivos, porque o foco eram as
conversas para renovação de acordo com a CNP.
Em setembro, a Caixa Seguridade anunciou acordo com a CNP,
mas válido apenas para os ramos de seguros de vida, prestamista
e previdência, até fevereiro de 2041. Um acordo final, no
entanto, ainda não foi assinado.
Nesse contexto, a oferta da BB Seguridade é para poder
comercializar outros produtos de seguros da Caixa, como
residencial e automotivo.
Segundo fontes ouvidas pela Reuters, o movimento causou
surpresa tanto na Caixa como no BB. Isso porque a eventual
vitória da BB Seguridade poderia fazer a Caixa disputar a venda
de seus próprios produtos com um concorrente.
Segundo uma das fontes ligada à Caixa, o Bradesco
também teria feito uma oferta pelo chamado serviço de balcão, ou
seja, o direito de vender esses seguros da Caixa, mas foi
recusada pela Caixa Seguridade.
No caso da BB Seguridade, apesar das preocupações com
conflito de interesses, a insistência do presidente-executivo da
BB Seguridade, José Maurício Coelho, pelo negócio acabou
prevalecendo.
Consultados, BB Seguridade, BB, Caixa Econômica Federal e
Caixa Seguridade não se manifestaram a respeito.
O movimento acontece no momento em que o governo federal
determinou o afastamento de quatro vice-presidentes da Caixa
Econômica, a pedido das forças-tarefas das operações Greenfield,
Cui Bono e Sépsis, uma vez que são investigados pela Polícia
Federal e pelo Ministério Público.

(Por Aluísio Alves; Edição de Gabriela Mello)
(([email protected]; 551156447553; Reuters
Messaging: [email protected]))

MetaTrader 300×250

Assuntos desta notícia