Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser reduzidas em janeiro de 2017, sendo a segunda redução consecutiva e a terceira em dois anos. Para o diretor executivo de estudos e pesquisas da ANEFAC, Miguel José Ribeiro de Oliveira, este resultado pode ser atribuído à redução da taxa básica de juros (Selic) promovida pelo Banco Central em sua última reunião do COPOM, realizada em 11 de janeiro e ainda, a expectativa de novas reduções da Selic frente à redução da inflação.

“Desde outubro de 2016 o BC começou a flexibilizar sua política monetária com a redução da Selic. Tendo em vista a melhora das expectativas quanto à redução da inflação bem como na melhora fiscal deveremos ter novas reduções da taxa básica de juros, o que reduz o custo de captação dos bancos possibilitando novas reduções das taxas de juros nas operações de crédito”, explica Oliveira.

MetaTrader 300×250

Para o especialista, é necessário ficar atento ao cenário econômico atual, que aumenta o risco de elevação dos índices de inadimplência. Isso por conta da recessão econômica em curso e ainda o desemprego elevado, que aumenta igualmente o risco de novas elevações das taxas de juros aos consumidores, tanto na pessoa física como na jurídica.

Pessoa Física

Das seis linhas de crédito pesquisadas, três tiveram suas taxas de juros reduzidas no mês (juros do comércio, cartão de crédito-rotativo e cheque especial) e três tiveram suas taxas de juros elevadas no mês (CDC-bancos-financiamento de veículos, empréstimo pessoal-bancos e empréstimo pessoal financeiras).

A taxa de juros média geral para pessoa física apresentou uma redução de 0,04 ponto percentual no mês (1,13 ponto percentual no ano) correspondente a uma redução de 0,49% no mês (0,72% em doze meses) passando a mesma de 8,16% ao mês (156,33% ao ano) em dezembro de 2016 para 8,12% ao mês (155,20% ao ano) em janeiro de 2017, sendo esta a menor taxa de juros desde julho de 2016.

Pessoa Jurídica

Das três linhas de crédito pesquisadas, duas tiveram suas taxas de juros reduzidas no mês (capital de giro e desconto de duplicatas) e uma teve sua taxa de juros elevada no mês (conta garantida).

A taxa de juros média geral para pessoa jurídica apresentou uma redução de 0,02 ponto percentual no mês (0,40 ponto percentual no ano) correspondente a uma redução de 0,42% no mês (0,54% em doze meses) passando a mesma de 4,74% ao mês (74,32% ao ano) em dezembro de 2016 para 4,72% ao mês (73,92% ao ano) em janeiro de 2017, sendo esta a menor taxa de juros desde junho de 2016.

Taxa de juros x Selic

Considerando todas as elevações e reduções da taxa básica de juros (Selic) promovidas pelo Banco Central desde março de 2013, tivemos neste período (março de 2013 a janeiro de 2017) uma elevação da Selic de 5,75 pontos percentuais (elevação de 79,31%) de 7,25% ao ano em março de 2013 para 13,00% ao ano em janeiro de 2017.

Neste período a taxa de juros média para pessoa física apresentou uma elevação de 67,23 pontos percentuais (elevação de 76,42%) de 87,97% ao ano em março de 2013 para 155,20% ao ano em janeiro de 2017.

Nas operações de crédito para pessoa jurídica houve uma elevação de 30,34 pontos percentuais (elevação de 69,62%) de 43,58% ao ano em março de 2013 para 73,92% ao ano em janeiro de 2017.


Assuntos desta notícia