Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

SÃO PAULO, 14 Nov (Reuters) – A diretoria da Agência
Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propôs nesta terça-feira
que uma taxa utilizada para definir a remuneração de
distribuidoras de eletricidade seja elevada em 6,5 por cento
ante uma proposta anterior da área técnica do órgão.
Em reunião da diretoria colegiada da agência, foi aprovada a
abertura de uma audiência pública sobre a proposta, que prevê
que as revisões tarifárias entre 2018 e 2020 utilizem um custo
médio ponderado de capital (WACC, na sigla em inglês) de 9,76
por cento para as distribuidoras, ou 7,71 por cento no valor
real após impostos.
Os técnicos da Aneel haviam proposto no final de outubro um
WACC real após impostos de 7,24 por cento, contra 8,09 por cento
praticado nas revisões tarifárias a partir de 2015.
A Reuters publicou no final de outubro que o número deveria
ser revisto e ficar mais próximo do WACC do ciclo passado de
revisões tarifárias, com informação da associação Abradee, que
representa investidores em distribuição.
Mas a Aneel chegou a apontar a possibilidade de não alterar
o WACC em 2018, devido às incertezas associadas à realização de
eleições presidenciais no Brasil no próximo ano.
O diretor Tiago de Barros, relator do processo sobre o tema
na agência reguladora, ressaltou que séries históricas
utilizadas no cálculo "demonstram maior volatilidade em anos
eleitorais", o que levou-o a questionar "a conveniência e
oportunidade" de rever o indicador justamente em 2018.
A questão eleitoral deverá ser discutida durante a audiência
pública sobre a proposta da Aneel, que acontece em duas fases:
uma até 15 de dezembro e outra até 12 de janeiro.

(Por Luciano Costa; Edição de José Roberto Gomes)
(([email protected]; 5511 5644 7519;
Reuters Messaging: [email protected]
– Twitter: @AnaliseEnergia))

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

Assuntos desta notícia

Join the Conversation