Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Jake Spring
BRASÍLIA, 14 Nov (Reuters) – Alemanha e Reino Unido
fornecerão juntos 153 milhões de dólares para ampliar programas
de combate à mudança climática e ao desmatamento na floresta
amazônica, de acordo com um comunicado do governo brasileiro
divulgado nesta terça-feira.
Aproximadamente 88 milhões de dólares irão para um programa
que faz pagamentos a povos indígenas e a agricultores em troca
da manutenção da cobertura vegetal e também fornece
financiamento para projetos de desenvolvimento econômico
sustentável.
ela primeira vez o programa crescerá para incluir o Mato
Grosso, o maior produtor brasileiro de soja, onde a expansão
rápida das fazendas e de criações de gado de corte tem ampliado
o desmatamento. O dinheiro pagará ainda pela manutenção do
programa já existente no Acre.
A Amazônia é a maior floresta tropical do mundo e sua
preservação é vista como essencial para a absorção das emissões
de carbono e a luta contra a mudança climática.
O desmatamento da Amazônia brasileira recuou 16 por cento
entre agosto de 2016 e julho de 2017 quando comparado com o
período anual anterior graças a uma vigilância ambiental maior,
embora a área devastada continue muito acima dos níveis
necessários para o Brasil cumprir suas metas climáticas, de
acordo com dados do governo.
O Brasil não pode depender da vigilância para deter o
desmatamento, e precisa lançar iniciativas financeiras para
preservar a floresta e obter mais ganhos, disse o ministro do
Meio Ambiente, Sarney Filho, no final do mês passado.
Sarney Filho disse que abordará a questão de como financiar
esse esforço na cúpula de combate à mudança climática da
Organização das Nações Unidas (ONU) em andamento esta semana em
Bonn, na Alemanha, onde os acordos foram anunciados.
Conforme estes acordos, a Alemanha também aumentará em 39,9
milhões de dólares seus investimentos existentes no Fundo
Amazônia, que tem na Noruega seu outro grande apoiador.
Os cerca de 25 milhões de dólares restantes do Reino Unido
serão destinados a um projeto regional de preservação florestal
no Brasil, na Colômbia e no Peru, que também têm partes da
Amazônia.
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))
REUTERS PF


Assuntos desta notícia

Join the Conversation