Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

BERLIM, 16 Mai (Reuters) – A melhor maneira de abordar os
temores internacionais a respeito do papel do Irã em sua região
e seu programa de mísseis balísticos é no âmbito do acordo
nuclear, mesmo depois da saída dos Estados Unidos, disse a
chanceler alemã, Angela Merkel.
"A questão é se você consegue conversar melhor se anular um
acordo ou ficando nele… dizemos que se consegue conversar
melhor ficando nele", disse Merkel aos parlamentares da Câmara
baixa do Parlamento nesta quarta-feira.
Nesta semana potências europeias prometeram manter o pacto
nuclear de 2015 vivo mesmo sem os EUA tentando proteger os
setores iranianos de petróleo e de investimentos, mas admitiram
que terão dificuldade para oferecer as garantias que Teerã
deseja.
O acordo entre o Irã e seis potências mundiais suspendeu a
maioria das sanções internacionais em 2016 em troca da contenção
do programa nuclear do regime sob a vigilância rígida da agência
nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU).
"Este acordo é tudo, menos ideal, mas o Irã está, de acordo
com todo o conhecimento das autoridades nucleares
internacionais, se atendo aos compromissos do acordo", disse
Merkel.
Na semana passada o presidente norte-americano, Donald
Trump, abandonou o pacto que classificou como "o pior acordo da
história" e reativou as sanções dos EUA contra o Irã.
"Apesar de todas as dificuldades que temos nos dias atuais,
o relacionamento transatlântico é e continua sendo essencial",
afirmou a chanceler aos parlamentares. "Mas estes
relacionamentos transatlânticos também devem ser capazes de
lidar com diferenças de opinião."
(Por Michelle Martin)
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447505))
REUTERS MPP


Assuntos desta notícia

Join the Conversation