Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

2 Mai (Reuters) – As ações da Apple subiam mais de
4 por cento nesta quarta-feira após a divulgação do balanço do
primeiro trimestre e previsão de vendas do iPhone no trimestre
atual acalmar os nervos dos investidores sobre potencial
desaceleração nas vendas de principal produto da companhia.
As ações da empresa tinham recuado 5 por cento, ou mais 40
bilhões de dólares em valor de mercado, nas duas semanas antes
da divulgação do balanço, em grande parte devido a uma previsão
da Taiwan Semiconductor , que foi lida como indicação
da fraca demanda por iPhones.
Mas enquanto os investidores se preparavam para vendas
fracas de smartphones, a Apple vendeu 52,2 milhões de iPhones,
pouco menos que a estimativa de 52,3 milhões de analistas.
Pelo menos quatro corretoras aumentaram seus preços-alvo
para as ações da Apple. Dos 43 analistas que cobrem o papel, 29
têm recomendação de "compra" ou superior e 14 de "manter".
Ninguém tem classificação de "venda".
"As vendas de unidades de iPhone foram melhores que nossas
recentes estimativas, e a administração destacou resultados
consistentes em todas as geografias, com o iPhone X sendo o
iPhone mais vendido em todas as semanas do trimestre", afirmou
T. Michael Walkley, analista da Canaccord Genuity.
Dois outros analistas estimam que a Apple venderá cerca de
40 milhões de iPhones no trimestre atual, com base na previsão
de receita da Apple para trimestre que termina em junho, de 51,5
bilhões a 53,5 bilhões de dólares, e as ações de fornecedores de
peças da Apple também subiam.
As ações da AMS , que fornece a tecnologia de
reconhecimento facial usada nos iPhones da Apple, subiam cerca
de 7 por cento nesta quarta-feira.
"Embora os embarques de 39 milhões de unidades no iPhone
sejam inferiores aos 42 milhões estimados há um mês, é muito
melhor do que nossa estimativa de 34 milhões, refletindo a fraca
perspectiva para o trimestre de junho de fornecedores como TSMC
e AMS", disse Katy Huberty, analista do Morgan Stanley.
O iPhone X, de 999 dólares, que conta com uma tela de borda
de ponta a ponta e reconhecimento facial para desbloquear o
telefone, tem sido afetado por gargalos no fornecimento e
preocupações com vendas fracas desde que foi lançado em novembro
nos Estados Unidos.
Embora as vendas do iPhone da Apple foram marginalmente mais
baixas do que as previsões de consenso, os resultados
trimestrais da empresa superaram as metas de Wall Street,
ajudados por uma receita de serviços de 9,1 bilhões de dólares.
"O crescimento das vendas de serviços em 31 por cento ano a
ano foi robusto neste trimestre e bem acima das expectativas,
refletindo a força das ofertas da Apple, incluindo App Store,
Apple Music, iCloud e Apple Pay", disse Sherri Scribner,
analista do Deutsche Bank.
A Apple também prometeu aumentar seus dividendos em 16 por
cento e recomprar adicionalmente 100 bilhões de dólares em
ações, o que, segundo analistas, cria um piso para os papéis.
Depois de um sólido trimestre que anulou a maioria das
preocupações sobre uma desaceleração, os olhos agora se voltam
para a próxima geração de iPhones a ser lançada em setembro.
Às 15h03 (horário de Brasília), a ação da Apple saía a
177,29 dólares, em alta de 4,9 por cento.
((Tradução Redação São Paulo, +5511 5644 7719))
REUTERS RBS AAP


Assuntos desta notícia