Clicky

MetaTrader 728×90

Por Paresh Dave
SÃO FRANCISCO, Estados Unidos, 9 Mai (Reuters) – A Niantic,
que desenvolveu o jogo para celular Pokémon Go, planeja mapear o
mundo em 3D com a ajuda de seus usuários, disse o
presidente-executivo da companhia à Reuters, estabelecendo a
startup como pioneira em uma área do mapeamento digital.
O que a empresa descreve como um "mapa de realidade
aumentada (RA)" é visto como crucial para aplicativos avançados
que usam a tecnologia. Mas a maneira eficiente de coletar e
processar dados para isso tem sido um problema que Google, Apple
e dezenas de startups também estão tentando resolver.
O esforço anteriormente não divulgados da Niantic depende
das câmeras dos celulares de seus usuários.
"Queremos que os jogadores construam o tabuleiro do jogo que
querem jogar", disse à Reuters o presidente-executivo da
Niantic, John Hanke, veterano do mapeamento que trabalhou no
Google Earth e no Google Street View. O Google incubou e
investiu na Niantic.
A indústria de tecnologia tem monitorado de perto a
estratégia da startup desde que Pokémon Go tornou recursos de
realidade aumentada populares, permitindo que os usuários
coletem criaturas virtuais que brotam na tela de seus celulares
conforme os usuários se movimentam pelas ruas. O jogo já foi
baixado mais de 800 milhões de vezes, segundo a Niantic.
Hoje, aplicativos de câmera podem renderizar digitalmente um
Pokémon ou um balanço em um parque. Mas com um mapa de realidade
aumentada como base, alguém poderia criar novas estruturas
virtuais no parque e outros usuários deste mapa poderiam
visualizar o mesmo desenho criado.
O mapeamento começará com espaços públicos como parques e
praças, disse Hanke, recusando-se a especificar quando. Ele
também não revelou como os mapas de realidade aumentada se
encaixariam nos jogos da Niantic, que também incluem o próximo
"Harry Potter: Wizards Unite".
Os usuários então poderiam competir em um cenário de jogo
atualizado que pode ser compartilhado por jogadores próximos,
mantendo um ciclo de dados novos e ajudando a Niantic a superar
o dilema que tem atrasado produtores de mapas sem uma aplicação
comercial.
Hanke disse que a Niantic permitirá que desenvolvedores
terceirizados usem seu mapa de realidade aumentada, que os
executivos da indústria estimam poder se tornar parte de um
negócio global multibilionário.
O Google Maps anunciou na terça-feira que vai lançar um
recurso de realidade aumentada neste ano em algumas cidades que
permitirá comparar imagens ao vivo obtidas pelo celular com o
banco de dados de imagens armazenado no Street View. O objetivo
declarado é ajudar os usuários a se localizarem quando sinal do
GPS for insuficiente.
Porém, os direitos de privacidade e de proteção de dados
podem representar obstáculos, disse Brendan Wallace,
sócio-gerente do grupo de investimento Fifth Wall Ventures, que
conecta proprietários de imóveis e empresas de tecnologia.
Pokémon Go, por exemplo, criou uma série de processos jurídicos
por perturbação pública, disse Wallace.
(Por Paresh Dave)
((Tradução Redação São Paulo; +55 11 56447509))
REUTERS TH AAJ


Assuntos desta notícia

Join the Conversation