Clicky

MetaTrader 728×90

SEUL/NAÇÕES UNIDAS, 16 Set (Reuters) – A Coreia do Norte
disse neste sábado que pretende alcançar um "equilíbrio" de
força militar com os Estados Unidos, que indicaram que sua
paciência para diplomacia está acabando após Pyongyang disparar
um míssil cruzando o Japão pela segunda vez em menos de um mês.
"Nosso objetivo é estabelecer o equilíbrio da força real com
os EUA e fazer com que os governantes norte-americanos não se
atrevam a falar sobre uma opção militar", disse o líder
norte-coreano Kim Jong Um, segundo a agência de noticias estatal
KCNA.
Kim acrescentou que o objetivo do país de desenvolver sua
força nuclear "está quase concluído".
Após o mais recente lançamento de mísseis na sexta-feira, o
conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, H. R.
McMaster, disse que os EUA estão ficando sem paciência com os
programas nuclear e de mísseis norte-coreanos.
"Para aqueles … que comentaram a falta de uma opção
militar, há essa opção", disse McMaster, acrescentando que não
seria a escolha preferida da administração Trump.
Também na sexta-feira, o Conselho de Segurança das Nações
Unidas (CSNU) condenou o lançamento de mísseis provocativos pela
Coreia do Norte. A ONU já havia intensificado sanções contra o
país em resposta a um teste de bomba nuclear em 3 de setembro.
A embaixadora norte-americana nas Nações Unidas, Nikki
Haley, fez corro ao forte posicionamento de McMaster.
"O que estamos vendo é que eles continuam a ser
provocativos, a ser imprudentes e nesse ponto não há muito o que
o Conselho de Segurança será capaz de fazer a partir daqui,
quando já cortou 90 por cento do comércio e 30 por cento das
exportações de petróleo da Coreia do Norte".
Trump disse que está "mais confiante do que nunca que as
opções para lidar com essa ameaça são efetivas e esmagadoras".
Ele também prometeu não permitir que a Coreia do Norte ameace os
Estados Unidos com um míssil nuclear.
(Por Christine Kim e Michelle Nichols)
((Tradução Redação São Paulo; +55 11 56447553))
REUTERS TH AAP