Clicky

MetaTrader 728×90

Por Barbara Goldberg
NOVA YORK, 4 Jan (Reuters) – As vendas de drones nos
Estados Unidos totalizaram pela primeira vez 1 bilhão de dólares
em 2017, mas não brinde tão cedo se você estiver no Estado de
Nova Jersey, onde os legisladores estão prestes a aprovar uma
lei proibindo bêbados de pilotarem os dispositivos.
A Assembléia de Nova Jersey deve votar nos próximos dias um
projeto de lei aprovado pelo Senado que impede a operação de
drones por pessoas bêbadas ou drogadas, além de proibir voos dos
artefatos não tripulados sobre prisões e na busca de animais
selvagens.
"É basicamente como voar um liquidificador", disse John
Sullivan, 41, de Nova York, diretor de fotografia aérea. Ele
disse que se opõe à pilotagem sob o efeito do álcool, mas está
preocupado com o excesso de regulamentação. "Se eu tivesse
tomado alguma bebida, ficaria hesitante em voar mesmo".
Em 2015, um drone que caiu nos jardins da Casa Branca e
alimentou debate no Congresso dos EUA sobre a necessidade de
regulamentar a pilotagem.
O responsável pelo acidente foi um empregado da Agência
Nacional de Inteligência Geoespacial que estava de folga e
bêbado. Ele pilotava um "quadcopter" 60 cm por 60 cm da varanda
do apartamento de um amigo e perdeu o controle sobre a área da
Casa Branca, de acordo com o New York Times.
Novas estatísticas, que devem ser divulgadas na próxima
semana, mostram que 3,1 milhões de drones foram vendidos nos EUA
no ano passado, 28 por cento a mais que em 2016, disse Richard
Kowalski, gerente da Consumer Technology Association.
"Este foi o primeiro ano em que as receitas com drones
atingiram 1 bilhão de dólares", disse Kowalksi em um email.
Nova Jersey está entre pelo menos 38 Estados que consideram
restrições aos dispositivos neste ano legislativo, disse Amanda
Essex, especialista sênior em políticas para a Conferência
Nacional de Legislaturas Estaduais.
"Como qualquer tecnologia, os drones têm a capacidade de ser
usados para o bem, mas também oferecem novas oportunidades para
pessoas fazerem o mal", disse a legisladora Annette Quijano, de
Nova Jersey. Ela apoia a legislação, que impõe uma punição de
até seis meses de prisão e uma multa 1 mil dólares para quem
pilotar um drone bêbado.
(Por Barbara Goldberg)
((Tradução Redação São Paulo, +5511 5644 7719))
REUTERS RBS GM


Assuntos desta notícia