Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

HAVANA, 10 Mai (Reuters) – A Colômbia e os rebeldes do
Exército de Libertação Nacional (ELN) recomeçaram nesta
quinta-feira as conversas sobre paz em Havana para encerrar mais
de cinco décadas de guerra, depois que o anfitrião original, o
Equador, retirou seu apoio para as negociações em abril enquanto
as guerrilhas continuarem a promover ataques.
Ambos os lados, que começaram as conversas 15 meses atrás em
Quito, disseram nesta quinta-feira que querem focar em alcançar
um novo acordo de cessar-fogo. Seu primeiro acordo terminou em
janeiro e foi seguido por um período de aumento da violência e
uma pausa de seis semanas nas discussões.
Os conflitos colombianos entre o governo, grupos rebeldes,
parlamentares e gangues criminosas mataram pelo menos 220.000
pessoas e deslocaram milhões.
"Nós estamos conscientes de que temos que dar passos
decisivos e chegou o momento de acertar um cessar-fogo bilateral
estável e mais robusto", disse o negociador-chefe do governo,
Gustavo Bell.
A Colômbia está em guerra com o ELN, fundado por padres
católicos radicais, desde 1964.
Cuba também foi a anfitriã das negociações de quatro anos
entre o país andino e os rebeldes das Forças Armadas
Revolucionárias da Colômbia (Farc), que chegaram em um acordo de
paz em 2016.
(Por Nelson Acosta e Sarah Marsh)
((Tradução Redação São Paulo, +5511 5644 7721))
REUTERS IM TR


Assuntos desta notícia