Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Aislinn Laing e Dave Sherwood
SANTIAGO, 13 Jun (Reuters) – A polícia e procuradores do
Chile realizaram nesta quarta-feira operações separadas e
inesperadas em escritórios da Igreja Católica para apreender
documentos relacionados às crescentes reivindicações de abusos
sexuais e acobertamentos.
As operações aconteceram somente horas antes de
investigadores de abusos do Vaticano enviados pelo papa
Francisco se encontrarem com o procurador-geral do país para
discutir colaboração em investigações civis e canônicas.
O arcebispo Charles Scicluna, de Malta, um enviado especial
do Vaticano, disse a repórteres que é “muito importante” que a
Igreja e o Estado trabalhem juntos para proteger crianças que
supostamente foram abusadas por padres e clérigos.
“O processo canônico não deve de nenhuma maneira impedir o
direito de pessoas exercerem seus direitos à justiça civil”,
disse em entrevista coletiva em Santiago.
Horas antes, a polícia e procuradores realizaram operações
no escritório judicial da Igreja em Santiago, surpreendendo
líderes da Igreja.
Jaime Ortiz de Lazcano, assessor legal do arcebispo de
Santiago, disse que estava em encontro com Scicluna quando foi
solicitado a ir para audiência em tribunal sobre a apreensão
iminente de documentos relacionados a um caso de abuso que a
Igreja havia investigado em janeiro.
“Eu fiquei muito surpreso quando disseram para mim: ‘Padre,
vá ao tribunal porque haverá uma operação’”, disse a repórteres.
“Não é comum que procuradores solicitem informações de uma
investigação canônica, mas nós estamos inteiramente dispostos a
cooperar”.
O procurador Emiliano Arias disse a repórteres do lado de
fora da operação em Santiago que está investigando “indivíduos
trabalhando para a Igreja Católica, não a Igreja Católica em
si”.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS TR


Assuntos desta notícia

Join the Conversation