Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

SÃO PAULO, 5 Jan (Reuters) – Depois de assinar em novembro
compromisso de filiação ao Patriota, o deputado federal Jair
Bolsonaro (PSC-RJ) acertou nesta sexta-feira seu ingresso no PSL
para disputar a Presidência da República pelo partido na eleição
deste ano, anunciaram o parlamentar e o presidente da legenda,
Luciano Bivar, em nota.
"O presidente nacional do Partido Social Liberal, Luciano
Bivar, e o deputado federal Jair Bolsonaro comunicam aos órgãos
de imprensa e a toda a sociedade que estão juntos em defesa do
projeto que irá mudar o Brasil a partir do próximo ano", afirma
a nota conjunta assinada por ambos e divulgada pela assessoria
de imprensa do deputado, que ocupa a segunda posição nas
pesquisas de intenção de voto para a eleição de outubro.
A nota afirma ainda que o PSL recebe "com muito orgulho" a
pré-candidatura de Bolsonaro ao Planalto e o deputado, por sua
vez, afirma que se sente abrigado "com muita honra" na nova
sigla.
"Tanto para o presidente Luciano Bivar, quanto para o
deputado Jair Messias Bolsonaro, são prioridades para o futuro
do país o pensamento econômico liberal, sem qualquer viés
ideológico, assim como o soberano direito à propriedade privada
e a valorização das Forças Armadas e de segurança", afirma a
nota.
Capitão do Exército na reserva e defensor do regime militar
que governou o Brasil entre 1964 e 1985, Bolsonaro já elogiou o
presidente dos EUA, Donald Trump, que tem adotado uma política
protecionista em seu governo.
Em entrevista à Reuters em setembro, o deputado defendeu uma
política de restrição à compra por investidores chineses de
empresas brasileiras.
Antes de acertar a filiação ao PSL, Bolsonaro havia assinado
em novembro do ano passado um compromisso de se filiar ao PEN
(Partido Ecológico Nacional), que mudará de nome para Patriota.
A ida do presidenciável ao PSL já gerou racha no partido com
um grupo autodenominado Livres, que defendia a renovação da
sigla, anunciando que deixará o PSL. Entre os nomes que haviam
aderido ao Livres recentemente está o da economista Elena
Landau, que atuou no governo Fernando Henrique Cardoso e havia
deixado o PSDB.
"A chegada do deputado Jair Bolsonaro, negociada à revelia
dos nossos acordos, é inteiramente incompatível com o projeto do
Livres de construir no Brasil uma força partidária moderna,
transparente e limpa", afirmou o Livres em sua página no
Facebook.
Pesquisa Datafolha divulgada no início de dezembro coloca
Bolsonaro isolado na vice-liderança da preferência do
eleitorado, atrás apenas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da
Silva, do PT.

(Reportagem de Eduardo Simões; Edição de Alexandre Caverni)
(([email protected]; 55 11 5644 7759; Reuters
Messaging: [email protected]))

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

Assuntos desta notícia