Clicky

Profitchart Pro 728×90

Os índices de peso em Wall Street operam em território negativo nesta sexta-feira. Balanços corporativos e atuação de Donald Trump, como chefe de Estado, estão no foco dos negociadores.

Há pouco, o S&P estava em queda de 0,19% aos 2.342; o Dow Jones estava em queda de 0,32% aos 20.554; e o Nasdaq subia 0,2% aos 5.816.

Profitchart Pro 300×250

O S&P segue perdendo força com as produtoras de commodities caindo enquanto os preços do petróleo e do metal estão caindo. A taxa de 10 anos do Tesouro estava em queda de 2,42%.

Vale lembrar que os mercados dos Estados Unidos estarão fechados segunda-feira para um feriado do Dia do Presidente.

Os meios de comunicação norte-americanos repercutiram hoje a entrevista coletiva concedida pelo presidente Donald Trump nesta quinta-feira (16). Na entrevista, Trump voltou a criticar a mídia nos Estados Unidos. Ele disse que os meios de comunicação são desonestos e veiculam notícias falsas, trabalhando para desqualificá-lo. Além disso, afirmou que herdou uma “bagunça” da administração de Barack Obama. Hoje, quase a maioria das grandes redes divulgou a entrevista e devolveu as críticas ao presidente.

Ainda hoje, outro fato pesou no governo Trump, com o vice-almirante Robert Harward rejeitando o posto de conselheiro de Segurança Nacional, em substituição a Michael Flynn, que renunciou em meio a um escândalo envolvendo a Rússia.

De acordo com a imprensa local, a negociação entre Trump e Harward travou porque o vice-almirante impôs como condição levar sua própria equipe e formar todas as pessoas. Harward teria feito oposição à manutenção da vice de Flynn, K.T. McFarland, no posto, como Trump tinha prometido.

De outro lado, o FBI – polícia federal norte-americana -, agências de inteligência e o Congresso dos Estados Unidos estão investigando o possível envolvimento de conselheiros que ocupam altos postos no atual governo com autoridades da Rússia durante as eleições presidenciais no ano passado.

As investigações sobre o assunto começaram há algumas semanas e atingiram o auge com a saída do conselheiro Flynn.

Segundo a Casa Branca, Flynn induziu a erro o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, ao mentir sobre a verdadeira dimensão de seus contatos com a embaixada russa em Washington. Antes de o assessor pedir demissão, Mike Pence chegou a dar várias entrevistas defendendo Michael Flynn e negando os contatos entre o ex-conselheiro da Casa Branca e os russos.

O clima de incerteza sobre o desempenho do bilionário-presidente prossegue, bem como cresce a expectativa para o anúncio de medidas econômicas.

Com apoio da Ag. Ansa


Assuntos desta notícia