Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Claudia Violante
SÃO PAULO, 10 Jan (Reuters) – As taxas dos contratos futuros
de juros fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira,
com investidores desmontando posições vendidas depois que a
inflação oficial subiu mais do que o previsto em dezembro e em
2017, embora tenha encerrado o ano abaixo da meta oficial.
Mesmo com o movimento, no entanto, os DIs continuaram
precificando apostas de que o Banco Central reduzirá ainda mais
a Selic, hoje na mínima histórica de 7 por cento.
"O IPCA mais alto não muda a perspectiva para a Selic neste
começo de ano", afirmou o economista-sênior do Banco Haitong,
Flávio Serrano.
O IPCA acumulou no ano passado alta de 2,95 por cento, menor
nível desde 1998 (1,65 por cento) e abaixo da meta do governo de
4,5 por cento, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou
menos, algo inédito desde que o regime de metas de inflação foi
definido, em 1999.
Só em dezembro, o IPCA acelerou a alta a 0,44 por cento,
depois de ter marcado inflação de 0,28 por cento no mês
anterior. Os resultados ficaram acima das expectativas de
analistas em pesquisa da Reuters, de alta de 0,30 por cento no
mês e de 2,80 por cento em 12 meses.
Mesmo assim, a curva a termo manteve a precificação de cerca
de 90 por cento de chances de o Comitê de Política Monetária
(Copom) do BC reduzir a taxa básica de juros em 0,25 ponto
percentual em fevereiro, primeira reunião deste ano, com o
restante indicando manutenção, segundo dados da Reuters.

Para o encontro de março, as apostas de novo corte de 0,25
ponto também seguiam em 40 por cento, com o restante vendo
manutenção, segundo operadores.
Diante do resultado do IPCA, o presidente do BC, Ilan
Goldfajn afirmou que a inflação já caminha em direção à meta
oficial em 2018, acrescentando que a condução da política
monetária continuará dependendo de diversos fatores, entre eles
projeções e expectativas de preços.
O trecho mais longo da curva perdeu força ao longo da sessão
e terminou com leve baixa, depois que o dólar firmou queda ante
o real em meio a fluxo vendedor.
Como pano de fundo, os investidores seguiram cautelosos com
a questão fiscal no país, após o governo não ter conseguido
cassar a liminar que impedia a posse da nova ministra do
Trabalho, deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ).
O temor dos mercados era de que isso poderia dificultar as
negociações do presidente Michel Temer para conseguir o apoio
político à reforma da Previdência, fundamental para colocar as
contas públicas em ordem.
Veja as taxas dos principais contratos de juros às 16:30:
mês ticker último fechamento variação
(%) anterior (p.p.)
(%)
APR8 6,737 6,728 0,009
JAN9 6,865 6,81 0,055
JAN0 8,04 8 0,04
JAN21 8,92 8,9 0,02
JAN23 9,74 9,78 -0,04

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

(Edição de Patrícia Duarte)
(([email protected]; 55 11 5644 7723; Reuters
Messaging: [email protected];))


Assuntos desta notícia