Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Claudia Violante
SÃO PAULO, 23 Nov (Reuters) – As taxas dos contratos futuros
de juros terminaram em queda nesta quinta-feira, depois que a
prévia da inflação oficial subiu menos do que o esperado em
novembro, endossando o caminho de corte de juros ao Banco
Central, e com a melhora do humor em relação à reforma da
Previdência.
"A inflação está baixa e mostra que o ambiente está
confortável para a flexibilização monetária", afirmou o
economista-sênior do banco Haitong, Flávio Serrano.
O IPCA-15 avançou 0,32 por cento em novembro, ante 0,34 por
cento em outubro, abaixo da previsão de alta de 0,40 por cento
dos economistas ouvidos pela Reuters. O indicador foi
beneficiado pela deflação maior nos preços de alimentos, que
acabaram ofuscando as altas nos preços da energia elétrica e
combustíveis.
A curva a termo precificou nesta sessão cerca de 95 por
cento de chances de redução de 0,50 ponto percentual da Selic em
dezembro, com o restante indicando corte de 0,25 ponto, segundo
dados da Reuters. Se esse movimento se concretizar, a taxa
básica de juros irá para nova mínima histórica.
Para 2018, as apostas de redução de 0,25 ponto percentual em
fevereiro, na primeira reunião do Comitê de Política Monetária
(Copom) do BC no ano, estavam em cerca de 65 por cento, igual à
véspera, segundo operadores. O restante indicava manutenção da
Selic.
Atualmente, a taxa básica de juros está em 7,50 por cento ao
ano, após dois cortes de 0,25 ponto, seguidos de dois de 0,75
ponto, quatro de 1 ponto e mais um de 0,75 ponto.
Em dia de liquidez mais fraca por causa do feriado do Dia de
Ação de Graças nos Estados Unidos, que mantém os mercados
norte-americanos fechados, investidores também reagiam às
notícias sobre negociações do governo do presidente Michel Temer
para colocar em votação a reforma da Previdência.
No meio da tarde, uma notícia de que o governo estaria
acertando com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ),
agendar a votação da reforma da Previdência para 5 de dezembro,
segundo a Bloomberg, animou os investidores, fazendo o dólar
ceder ante o real e ampliar a queda dos juros.
"O governo não vai marcar uma data se não tiver votos para
passar, não tomaria esse risco", avaliou o corretor de renda
fixa institucional da corretora Nova Futura, Arthur Ferreira.
Na véspera, o presidente Michel Temer ofereceu jantar para
conseguir apoio político para a matéria, do qual participaram
176 pessoas entre parlamentares, ministros, economistas e o
presidente.
Após o encontro, no entanto, o relator da reforma da
Previdência, deputado Arthur de Oliveira Maia (PPS-BA), havia
dito que o governo ainda tem um trabalho "árduo" para conquistar
os 308 votos necessários na Câmara dos Deputados.
Veja as taxas dos principais contratos de DIs às 16:30:

mês ticker último fechamento variação
(%) anterior (%) (p.p.)
APR8 6,89 6,92 -0,03
JAN8 7,084 7,103 -0,019
JAN9 7,12 7,19 -0,07
JAN21 9,18 9,25 -0,07
JAN23 9,98 10,03 -0,05

MetaTrader 300×250

(Edição de Patrícia Duarte)
(([email protected]; 55 11 5644 7723; Reuters
Messaging: [email protected];))


Assuntos desta notícia