Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

O Ibovespa, índice principal da bolsa de valores de São Paulo, está fechado o primeiro semestre de 2017 com valorização de 4,43%. Já no mês de junho, o índice também acumula ganho de 0,30% e segue em terreno positivo na semana, 3%.

Nesta sexta-feira, o índice encerrou a sessão em alta de 1,06% aos 62.899 pontos. O volume financeiro foi de R$6,1 bilhões.

MetaTrader 300×250

Em dia de agenda carregada em todos os mercados com o encerramento do mês e com o cenário político dando sinais de acomodação nos próximos dias, o índice também foi amparado pelas estatais como Eletrobras, Petrobras, siderúrgicas, bancos e a Vale. Mesmo com manifestações contra o governo de Michel Temer e, principalmente, com a Reforma Trabalhista, os investidores decidiram comprar, embora em baixo giro financeiro.

As ações com ganhos

Siderúrgica Nacional, alta de 4,51%; JBS ON, alta de 3,65%; Eletrobras ON, alta de 2,81%; Sabesp ON, alta de 2,76%; e MRV ON, alta de 2,74%.

As ações com perdas

Fibria ON, queda de 1,495; Ecorodovias ON, queda de 0,38%; Cielo ON, queda de 0,24%; Engie Brasil ON, queda de 0,24%; e Bradespar PN, queda de 0,19%.

A Petrobras ON ficou em alta de 1,46% e a PN, alta de 1,56%.

A Vale ON ficou em alta de 0,35% e a PN, alta de 0,11%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 02 de maio a 01 de setembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (11,453%), Bradesco PN (8,244%), Ambev S/A ON (7,299%), Petrobras PN (5,331%) e Vale PNA (4,727%).

Análise por Alvaro Bandeira

O primeiro semestre de 2017 chega ao final e sem muitas mudanças no cenário político do Brasil. Porém, os indicadores da economia começaram a dar os primeiros sinais positivos e mesmo frágeis comemorados pela equipe econômica.

Já para o mês de junho, em consequência ainda das delações premiadas dos donos da JBS, o quadro político se agravou e despertou ainda mais cautela nos investidores. “ No mês, o movimento no segmento Bovespa foi o mesmo e o índice ficou praticamente em zero a zero, ou seja, trocando seis por meia dúzia. Houve muita especulação, mas nenhuma consistência de que alguma coisa poderia mudar e elavar o humor. Na economia não andamos nada e na política pior ainda. Votações, danca das cadeiras e, para piorar, a JBS no foco central”, considerou.

Sobre investimentos, Bandeira explica também que as saídas representaram R$1,3 bilhão em junho, mas o saldo ainda é positivo no ano em R$4,4 bilhões. “Se as incertezas não fossem tantas, os mercados estariam ajustados. Ontem, por exemplo, a meta de inflação poderia ser menor se o cenário político estivesse alinhado e não com tantas incertezas pela frente”, avaliou.

Para o cenário externo, quem andou bem foi a Europa. “Os números estão mostrando robustez e os bancos centrais já estão sinalizando reduzir a flexibilização monetária, aliás, uma proposta evidenciada pelos bancos centrais Europeu, do Reino Unido e Canadá mostrando que o 1º mundo está acreditando na recuperação global. Na lista apenas o BoJ decidiu manter a atua política de juros baixíssimos , sem esquecer do Fed que segue firme na elevação das taxas de juros dos Estados Unidos”, avaliou Bandeira.

Quanto às expectativas para julho, o analista mantém um pouco de otimismo. “Os números devem se manter em julho, já que o cenário político fica mais fraco com o recesso parlamentar”, finalizou o analista-chefe e sócio do ModalMais, Alvaro Bandeira.

Commodities

O preço do petróleo WTI para agosto ficou em alta de 2,92%, a US$ 46,24 o barril na Bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em alta de 0,37% a US$64,95 a tonelada seca e com 62% de pureza.


Assuntos desta notícia