Clicky

mm TD 728

A volatilidade marcou a semana da bolsa de valores de São Paulo, com o índice principal fechando com desvalorização de 0,88%. Nesta sexta-feira, o índice também manteve o mesmo comportamento e os investidores evitaram grandes negócios. As incertezas na política estão no foco central.

Ao final o índice principal da bolsa brasileira ficou em queda de 0,30% aos 61.087 pontos. O índice de energia elétrica, IEE, ficou em queda de 0,33%. O giro financeiro ficou em R$5,8 bilhões.

“Ninguém estava com apetite para arriscar nada, já que os próximos dias serão decisivos para o presidente Temer, sem ruídos de mercado. Enquanto isso, a apatia tomou conta e só resta esperar”, avaliou o gerente de Bovespa da H. Commcor, Ari Santos.

Hoje, papéis da Eletrobras, Cemig e Petrobras entraram na lista de vendas, com a realização de lucros.

As ações com ganhos
Gerdau PN, alta de 3,63%; Gerdau Met. PN, alta de 3,10%; Usiminas PNA, alta de 4,22%; Estacio Participações ON, alta de 3,43%; e Cosan On, alta de 3,28%.

As ações com perdas
Eletrobras ON, queda de 4,92%; Eletrobras PNB, queda de 3,39%; Cemig PN, queda de 2,66%; Fibria ON, queda de 3,57%; e Klabin UNT, queda de 2,08%.

A Petrobras ON ficou em queda de 1,23% e a PN, queda de 0,91%.

A Vale ON ficou em alta de 0,81% e a PN, alta de 0,28%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 02 de maio a 01 de setembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (11,453%), Bradesco PN (8,244%), Ambev S/A ON (7,299%), Petrobras PN (5,331%) e Vale PNA (4,727%).

Análise por Alvaro Bandeira

Em semana de agenda fraca, os mercados ficaram por conta do comportamento das commodities, alguns indicadores e esperando por notícias relevantes, em especial no Brasil. “O mercado ficou no sobe e desce e aguardando por decisões no compasso para definir o viés. O cenário político, ‘péssimo’, com Temer viajando e sofrendo derrotas como a rejeição do relatório da Reforma Trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais [CAS] do Senado. Além disso, cresce a expectativa sobre uma denúncia de Temer. O que parece é que o mercado está ajustado a esse cenário. A reação só deverá acontecer se uma notícia muito relevante aparecer, caso contrário ficará assim”, destacou Bandeira.

Para a economia, o analista acrescenta que os dados apresentados ao longo da semana foram um pouco mais positivos. “O destaque foi o relatório trimestral de inflação que o BCB divulgou ontem e apontando para o corte de um ponto na Selic já na próxima reunião do Copom. O IPCA apresentado hoje apontou para a deflação, que deve permanecer até o fechamento do mês.”

Já para os mercados internacionais, Bandeira disse que os números das economias mesmo mistos estão mais tranquilos. “Os posicionamentos dos presidentes regionais do Federal Reserve deram mais tranquilidade aos mercados. Mesmo sem o presidente Trump gerando polêmica, as propostas de orçamento e medidas fiscais estão paralisadas o que acaba despertando a cautela para as dificuldades que ele terá para as aprovações. De outro lado, os bancos centrais não mexeram com as políticas monetárias, o que acabou dando alívio. Apenas os preços dos petróleo assustaram. Diante disso tudo, a uma estratégia é esperar”, finalizou o analista-chefe e sócio do ModalMais, Alvaro Bandeira.

Pagam dividendos:Fras-le e Odontoprev.

Commodities

Os preços do petróleo WTI para agosto operou em alta de 0,87%, a US$ 43,11 o barril na Bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em alta de 0,39% a US$56,75 a tonelada seca e com 62% de pureza.


Assuntos desta notícia