Clicky

MetaTrader 728×90

As Bolsas de Valores da Ásia encerraram as negociações desta terça-feira valorizadas, com os negociadores analisando as declarações da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, sobre a economia dos Estados Unidos e o que interferirá na decisão do Comitê de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) para a elevação ou não das taxas de juros do país. Yellen disse que os aspectos positivos na economia dos Estados Unidos “superam os negativos e há uma perspectiva de aumentos graduais das taxas de juros”.

O Índice MSCI Asia Pacific subiu pelo terceiro dia consecutivo, avançando 1%, para 131,22 a partir das 16:40, em Hong Kong. Em Tóquio, o dólar subiu novamente em relação ao iene nesta segunda-feira.

Chart Trading 300×250

Ao final desta jornada, em Hong Kong, o principal indicador, o Hang Seng, ficou em alta de 1,42% aos 21.328 pontos; na China, o índice SSE Composite, da bolsa de Shanghai ficou em alta de 0,07% aos 2.936 pontos; na Índia, o índice BSE da bolsa de Bombai ficou em alta de 0,87% aos 27.009 pontos; e no Japão, o índice Nikkei da bolsa de Tóquio fechou alta de 0,58% aos 16.675 pontos.

A economia japonesa melhorou em abril, oferecendo esperança de que a terceira maior economia do mundo foi ganhando força após uma expansão surpreendente primeiro trimestre. O índice econômico principal subiu para 100,5 em abril, de um 99,1 no mês anterior revisado para cima. Os dados são do Gabinete do Governo e divulgados nesta terça-feira.

O índice coincidente do Japão – um indicador sintético único que monitora o estado atual da economia – aumentou para 112,2 em abril, de um descendente revisado 110,2 em março. O índice coincidente é seguido de perto pelos mercados financeiros porque expressa uma forte correlação com o ciclo de negócios em geral.

A economia japonesa expandiu muito mais rápido do que o esperado no primeiro trimestre, crescendo a uma taxa anualizada de 1,7%. No entanto, o desempenho real da economia provavelmente não foi tão impressionante quando controlando para a revisão em baixa acentuada para o crescimento do quarto trimestre.


Assuntos desta notícia