Clicky

DIs terminaram o dia com taxas de juros em queda

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Em dia de agenda fraca, os mercados tiveram comportamento majoritário de alta. Logo cedo, foram anunciados PMIs da atividade industrial e de serviços para diferentes países em fevereiro (preliminar), todos acima de 50 pontos, o que indica expansão da atividade. Apesar disso, os investidores ficaram de olho na abertura dos mercados nos EUA, após o feriado do Dia dos Presidentes.

No Brasil, nenhum indicador com capacidade de mexer com os mercados, mas em compensação tivemos inúmeros pronunciamentos de autoridades. Alexandre de Moraes foi sabatinado durante todo o dia para a vaga de ministro do STF e, pelo noticiário, se houve bem nas questões essenciais, apesar de movimentos contrários de partidos como o PSOL e outros.

Chart Trading 300×250

No mercado americano, vários presidentes de regionais do FED, deram declarações todos no sentido de elevação da taxa de juros (até 3 altas), mas os investidores não arriscam essa postura para a reunião de março. Voltaram a falar de redução do tamanho do balanço do FED em futuro não tão distante e, que a taxa natural (subjacente), muito baixa pode propiciar riscos financeiros e bolhas de ativos (John Willians).

Na sequência dos mercados no exterior, o petróleo WTI negociado em NY mostrava alta de 1,67%, com o barril cotado a US$ 54,29. O euro era transacionado em queda para US$ 1,054 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 2,43%. O ouro e a prata foram negociados em queda na Comex e commodities agrícolas com viés de queda na bolsa de Chicago. O minério de ferro negociado no mercado spot chinês observou nova alta de 1,9%, com a tonelada em US$ 94,50.

No segmento local, o ministro Henrique Meirelles voltou a declarar que o Brasil entrou em rota de crescimento sustentável, e o secretário disse que a reforma tributária é complexa e mexe com a arrecadação de Estados e Munícipios numa hora difícil. Apesar disso, Guardia disse que o relator da reforma tem bom diagnóstico e como resolver os problemas.

No Rio de Janeiro, seguiram as discussões sobre a privatização da CEDAE e os deputados aprovaram o uso de R$ 3,5 bilhões para quitar salários atrasados e aprovaram a emenda sobre manutenção da tarifa social. Ainda existem inúmeras emendas a serem discutidas e votadas e, isso, pode descaracterizar o objetivo.

No mercado, os DIs terminaram o dia com taxas de juros em queda para todos os vencimentos como previsto e o dólar oscilando pouco e encerrando com valorização de 0,18% e cotado a R$ 3,094. Na Bovespa, na sessão de 17 de fevereiro, os investidores estrangeiros voltaram a retirar recursos do mercado no montante de R$ 293 milhões, deixando o saldo de fevereiro ainda positivo em
R$ 1,38 bilhão e o do ano mostrando ingresso líquido de R$ 7,62 bilhões.

No mercado acionário, a bolsa de Londres registrou queda de 0,34%, Paris com +0,49% e Frankfurt com +1,18%. Madri e Milão com altas de respectivamente 0,32% e 0,34%. No mercado americano, o Dow Jones encerrou com alta de 0,55% e o Nasdaq com 0,47%. Na Bovespa, dia de alta de 0,76% e índice em 69052 pontos, com destaque para realização de lucros recentes em Vale.

Na agenda de amanhã, a FGV anuncia a confiança do consumidor e da construção em fevereiro, o INCC de fevereiro e a prévia da inflação oficial pelo IPCA -15 de fevereiro. O Bacen anuncia o fluxo cambial da semana anterior e o Copom a decisão sobre juros Selic, depois de pregão encerrado. Nos EUA, teremos a ata do FOMC do FED e venda de imóveis usados. Além disso, Merkel (Alemanha) tem encontro com Lagarde (FMI) e um acordo sobre resgate da Grécia ficou um pouco mais perto.

Boa noite.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe Home Broker Modalmais
Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado


Assuntos desta notícia