Clicky

MetaTrader 728×90

Por Claudia Violante
SÃO PAULO, 10 Nov (Reuters) – O dólar encerrou a sexta-feira
em alta ante o real, em sintonia com o exterior e com os
investidores cautelosos com as negociações políticas do governo
do presidente Michel Temer para tentar votar a reforma da
Previdência após os conflitos internos no PSDB, legenda que faz
parte da base de apoio.
O dólar avançou 0,63 por cento, a 3,2805 reais na
venda, acumulando na semana queda de 0,80 por cento, a primeira
após três altas semanais seguidas que acumularam valorização de
5 por cento.
Na mínima do dia, a moeda norte-americana marcou 3,2513
reais e, na máxima, 3,2834 reais. O dólar futuro tinha
alta de cerca de 0,80 por cento no final da tarde.
"Esse racha do PSDB prejudica a situação (para a votação da
reforma da Previdência)", afirmou o analista-chefe da corretora
Rico, Roberto Indech.
Na véspera, o presidente licenciado do PSDB, senador Aécio
Neves (MG), retirou o também senador Tasso Jereissati (CE) do
comando interino da legenda. O movimento se deu num momento de
racha interno do PSDB, onde uma parcela dos tucanos, entre eles
Tasso, defende o desembarque do partido do governo federal,
enquanto uma outra, que tem Aécio entre seus expoentes, defende
a permanência.
Nos últimos dias, o governo concentrou esforços para
conseguir tirar do papel ainda este ano a reforma da Previdência
e já se conformou com um texto mais enxuto. Depois de Temer
sinalizar no começo da semana que poderia desistir da reforma, a
força-tarefa do governo que se seguiu voltou a trazer o
benefício da dúvida aos mercados financeiros, mas sempre com
bastante cautela.
Especialistas ouvidos pela Reuters, no entanto, avaliam que
Temer tem poucas chances de conseguir aprovar a reforma, mesmo
numa versão mais enxuta. Além da reforma da Previdência, o
governo também precisa do Congresso para assegurar outras
medidas fiscais imprescindíveis para o Orçamento de 2018, e a
tarefa não é fácil.
Em meio a esse ambiente doméstico, no exterior cresceram as
preocupações com a reforma tributária do presidente dos Estados
Unidos, Donald Trump. Na véspera, os republicanos do Senado
apresentaram um plano tributário diferente da versão dos
deputados em vários tópicos importantes, incluindo a maneira
como tratam a taxa corporativa, a dedução para Estados e as
taxas locais, além das estatais.
O dólar registrava leve oscilação ante uma cesta de moedas
, mas subia frente a divisas de países emergentes como os
pesos chileno e mexicano .

(Edição de Patrícia Duarte)
(([email protected]; 55 11 5644 7723; Reuters
Messaging: [email protected];))

MetaTrader 300×250

Assuntos desta notícia

Join the Conversation