Clicky

Bovespa fecha em queda nesta quarta-feira

mm bolsa 728

O presidente americano Donald Trump continua determinando o comportamento dos mercados de risco no curto prazo, a partir de todas as confusões que se vê envolvido. Hoje os mercados repercutiram o noticiário do início da noite de ontem, quando o NY Times divulgou que Trump teria tentado interferir em investigações do FBI acerca das relações de Michael Flynn com os russos.

O presidente da Câmara dos Representantes Paul Ryan disse que o Congresso precisa de fatos concretos sobre Comey e Trump e o ex-diretor do FBI vai testemunhar no Congresso na quarta-feira próxima. Até lá muita confusão ainda está guardada e o comitê de inteligência do Senado pediu que o FBI entregue o memorando de Comey feito após o encontro com Trump. Isso foi tudo o que foi discutido e comentado durante dia de agenda fraca no mercado internacional. É voz corrente que Trump deve anunciar hoje novas sanções contra o Irã.

300×250 4 reais

Ainda nos EUA, os estoques de petróleo da semana anterior observaram queda de 1,7 milhão de barris pouco abaixo dos esperados -2,2 milhões. Os estoques de gasolina encolheram 480 mil barris. Isso garantiu a alta do petróleo WTI negociado em NY de 0,76%, com o barril cotado a US$ 49,03. O euro era transacionado em alta para US$ 1,114 e os notes americanos com taxa de juros para títulos de 10 anos em 2,22%. O ouro e a prata com boas altas na Comex e commodities agrícolas com comportamento majoritário de alta na bolsa de Chicago. Destacamos ainda, o índice de pânico VIX, que subiu forte na maior alta em oito meses e o CDS do Brasil (swap de inadimplência) que teve alta no dia.

No Brasil, o Bacen anunciou que o fluxo cambial de maio até o dia 12 foi positivo em US$ 502 milhões (fluxo financeiro negativo em US$ 899 milhões), deixando o fluxo cambial do ano positivo em US$ 11,54 bilhões. O Bacen registrou em maio ganhos em operações de swap de R$ 629 milhões. Ao longo do dia, o ministro Meirelles disse que o Brasil cresceu no primeiro trimestre em ritmo de 4%; declaração otimista.

No mercado, os DIs terminaram o dia com leve alta dos juros e o dólar fechou com alta de 1,19% e moeda cotada a R$ 3,134. Na Bovespa, na sessão de 15 de maio, os investidores estrangeiros alocaram R$ 116,4 milhões, deixando o saldo do mês de maio positivo em R$ 1,16 bilhão e o ano com ingresso líquido de R$ 4,67 bilhões.

No mercado acionário, dia de queda nas principais bolsas europeias, com Londres perdendo 0,25%, Paris com -1,63% e Frankfurt com -1,79%. Madri e Milão com perdas de respectivamente 1,79% e 2,31%. No mercado americano, queda do Dow Jones de 1,77% e Nasdaq com -2,57%. Na Bovespa, dia de queda para todas as principais ações e índice perdendo 1,67%, no patamar de 67540 pontos.

Na agenda de amanhã, teremos o PIB do primeiro trimestre do Japão, os preços de imóveis nas principais cidades chinesas. Nos EUA, os pedidos de auxilio desemprego da semana anterior e fala de dirigentes do FED. No Brasil, o IPC da segunda quadrissemana de maio, a segunda prévia do IGP-M de maio e dados da PNAD contínua.

Boa noite.

Alvaro Bandeira
Economista-Chefe Home Broker Modalmais
Fonte: https://www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado


Assuntos desta notícia