Clicky

mm TD 728

As bolsas da Europa dispararam nesta primeira sessão do mês com as ações das mineradoras, bancos e empresas de energia. O otimismo tomou conta dos investidores para o segundo semestre do ano depois dos indicadores apresentados hoje para a Zona do Euro. Os números da China, acima do estimado, também contribuíram com os índices europeus.

Ao final da jornada, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 1,06% aos 383.41, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) subiu 2,08% aos 21.013; o Ibex 35 (Madri) subiu 1,53% aos 10.604; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 1,22% aos 12.475; o FTSE-100 (Londres) subiu 0,88% aos 7.377; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 1,47% aos 5.195 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) subiu 0,53% aos 5.180.

A reação dos dados da China revelou que o minério poderá dar mais fôlego para a economia, isto porque o país é um dos mais importantes em recursos naturais. Além disso, conforme o governo chinês, há um projeto gigante para o setor de infraestrutura com início ainda este ano.

As ações da Boliden AB subiram 3,2%, as da Glencore PLC mais 5% e a siderúrgica ArcelorMittal SA MT subiram 3,8%.

As ações da Total SA e a Repsol SA subiram mais de 2%, com o aumento nos preços do petróleo pelo oitavo dia consecutivo. A Vestas Wind Systems S/A saltou 2,3% depois que a empresa dinamarquesa de energia renovável recebeu uma ordem de compra para suas turbinas eólicas nos Estados Unidos.

A Thyssenkrupp AG aumentou 4,9% com o relatório sinalizando a viabilidade de fusão de sua unidade de aço com a Índia Tata Sons.

A Plus500 Ltd saltou 4,1% depois que a empresa de comércio varejista afirmar que as vendas anuais e o lucro serão “significativamente” maiores que as estimativas dos analistas.

Já as ações do HSBC Holdings subiram 2,5%, as do Santander SA , 3,6%, e as do Deutsche Bank AG subiram 3,7%.

O euro comprou US$ 1,1363, em comparação com US $ 1,1427 no final da sexta-feira em Nova York. A moeda compartilhada manteve-se mais baixa, mesmo após o índice final de compras na fabricação da Zona do Euro chegar em 74 meses de alta em 57,4, em comparação com a estimativa de 57,3 e superior aos 57,0 impressos em maio. Os indicadores da Alemanha e dos demais países no PMI também reagiram em maior.


Assuntos desta notícia