Clicky

MetaTrader 728×90

As bolsas europeias fecharam divididas nesta quinta-feira, com as atenções para os indicadores do setor de trabalho dos Estados Unidos e também para os PMIs da região.

A contração inesperada na fabricação americana teve seus efeitos sobre algumas ações europeias, derrubando um pouco o otimismo anterior de que o crescimento econômico global está ganhando força.

MetaTrader 300×250

O índice Stoxx 600 Europe perdeu quase 1%, depois dos dados dos Estados Unidos destacando a queda nas encomendas da produção industrial.

Outros dados, que embalaram os mercados para cima foram os da atividade industrial do Reino Unido, subindo para a maior alta de 10 meses, e também os da China.

A ações de saúde recuaram, as maiores desde junho, enquanto as ações de energia seguiram os preços do petróleo mais baixos.

O volume de ações no Stoxx 600 mudando de mãos foi de cerca de 36% maior do que a média de 30 dias nesta quinta-feira.

Ao final da jornada, em Milão, o índice FTSE-MIB ficou em queda de 0,12% aos 16.923 pontos. Em Madri, o índice Ibex 35 ficou em alta de 0,71% aos 8.779 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 ficou em alta de 0,03% aos 4.439 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX 30 caiu 0,55% aos 10.534 pontos. Em Londres, o índice FTSE-100 recuava 0,45% aos 6.323 pontos. E, em Lisboa, o índice PSI-20 subiu 0,04% aos 4.713 pontos.

O índice Markit para o PMI de Manufatura da Eurozona ficou em 51,7 no mês de agosto, três meses de baixa e ainda mais baixo a partir de junho. A leitura final também marca queda na estimativa provisória anterior de 51,8.

Na Alemanha, o aumento da produção, que começou em dezembro 2014 continuou em agosto. Embora ajustado sazonalmente, o índice Gerentes de Compras (PMI) caiu de 53,8 em julho para 53,6, manteve-se acima da sua média de longo prazo (51,9) e sinalizou uma melhoria sólida nas condições de produção.

O PMI da França caiu para 48,3 em agosto, ante 48,6 em julho, a leitura mais recente foi abaixo do limiar de 50,0, crucial pelo sexto mês consecutivo, embora o indicativo tenha ficado a uma taxa moderada de deterioração das condições gerais de negócios.

O PMI para o mês de agosto do Reino Unido ficou em 53,3 em agosto, ajuste sazonal.A recuperação acentuada ocorre depois da baixa de 41 meses de 48,3 mostrada em julho na sequência do referendo da UE. O aumento mês a mês no nível do PMI (5,0 pontos) foi o maior da média histórica para o levantamento de 25 anos.

O PMI de Manufatura da Itália registrou 49.8 em agosto, para sinalizar uma ligeira deterioração nas condições gerais de negócios. Em 51,2 em julho, o índice ficou abaixo da marca de 50,0, crítica pela primeira vez desde janeiro de 2015 e no seu mais baixo nível global de 20 meses. Todos os PMIs são do Markit Economics e foram divulgados hoje.


Assuntos desta notícia